E o técnico de lata é do…

Não creio que um grande número de treinadores erre ao colocar três defensores do Brasil, que levou de 7×1 da Alemanha, entre os quatro melhores do mundo. Quase 50% da seleção do mundo é do Brasil.

Os caras da Europa resolveram nos gozar ou só faltam dois para sermos campeões morais:

1- Marco Polo del Nero ou José Maria Marin

2-Luiz Felipe Scolari

Fiquei estarrecido ao constatar que o mundo considera os nossos craques, super craques, e, os nossos treinadores uns Super Patetas, com amendoim e tudo.

Já estamos no meio do ciclo de uma outra Copa do Mundo e a única coisa que mudou foi a diretoria da CBF, e graças à intervenção do FBI. Mudamos do Marin para o Del Nero, do Felipão para o Dunga, e o que ganhamos? Nada.

A nossa seleção canarinho está mais mansa do que nunca. Os chineses resolveram acabar com o restinho dos nossos timecos deixando-nos com a sensação que veremos só Série C e D. A nossa Série A será na Europa, a Série B no Oriente e as Séries C e D sobraram para nós.

É uma tristeza saber que os valores do único esporte que dá inserção social às classes menos favorecidas está sendo levado desse Brasil, sem que nenhuma autoridade esportiva ou política se manifeste. É como se o mundo se organizasse para tirar o football, dos Americanos; o judô dos japoneses e o tênis de mesa dos chineses e esses povos assistissem a tudo isso, devidamente passivos e amordaçados.

Para que servem as Federações, as Confederações e o nefasto COB?

A China acabou com o time campeão brasileiro, deixou as categorias inferiores sem os seus professores de futebol, e nenhuma reação aconteceu, e pelo visto, não acontecerá. Há um Bom Senso Futebol Clube, pois são veteranos, que prega um menor número de jogos e um aumento nos salários. Creio que seria mais honesto dividir em categorias o brasileirão. A categoria de 21 anos a 25 anos, a de 26 anos a 31 anos e a de 32 a 40 anos. Será muito difícil vermos jogar o Zé Roberto contra o Arão. O Bom Senso só poderá querer jogos a cada quinze dias. A recuperação na praia será a grande invenção para 2016, como o Felipão inventou uma seleção sem treinamentos. Sem esquecer que o jovem Alexandre Pato, o craque que nunca foi, deverá ter um tempo disponível para usar dos R$3 milhões que ganhará, mensalmente, do Corinthians, o destroçado campeão brasileiro de 2015. Eu acho é pouco!

E o nosso treinador Dunga?

Faço daqui os meus protestos contra esses despudorados dirigentes, da CBF e do COB, que estão deixando acabar mais um esporte olímpico, às vésperas de uma Olimpíada, dentro de casa.

Valeu a subida, ao palco na FIFA, do garoto do Vila Nova de Goiás, Wendel Lira, e da figura de Golias contra Davi que ele lembrou ao receber o Prêmio Puskas, do gol mais bonito do ano:

“Quando os exércitos viram o gigante que era Golias frente ao minúsculo Davi, pensaram junto: coitado desse rapaz, será esmagado ao primeiro toque. Davi, ao contrário de todos, pensou desde o início da aparição do gigante: com esse tamanho todo será difícil eu errar”

O resultado, as histórias contam que foi só uma pedrada e o chão foi todo de Golias. A virada e troca de pernas e pé do nosso Wendel Lira deixou o Super Craque, Lionel Messi, em segundo lugar, batendo palmas emocionadas para o nosso craque.

Roberto Caminha Filho, economista e nacionalino, continua achando o Neymar, o mais craque dos dois, e o Cristiano Ronaldo, um bom jogador.

 

Seja o primeiro a comentar on "E o técnico de lata é do…"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.