Surdos protestam em Manaus por retorno à escola especial no Centro

Surdos e mudos, pais e professores protestaram por retorno à escola especial no Centro de Manaus (Foto: Divulgação)

Surdos, pais e professores protestaram por retorno à escola especial no Centro de Manaus (Foto: Divulgação)

Da Redação

MANAUS – Um grupo de 60 estudantes surdos promoveu manifestação na manhã desta sexta-feira, 24, em frente à Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos, no Centro de Manaus. Eles pedem o retorno das aulas à unidade de educação. As atividades foram transferidas para outro estabelecimento. O prédio da Escola Augusto Carneiro foi adaptado para instalar a coordenadoria distrital da Seduc (Secretaria Estadual de Educação).

O estudante Gilvânia da Silva, que acompanha o protesto dos alunos surdos, disse que a antiga escola é mais adequada para atender às necessidades dos alunos. Segundo ela, há pouco mais de dois anos os estudantes foram transferidos para outra unidade, também no Centro da cidade, mas em um local de difícil acesso. O local não tem segurança e alguns alunos já foram assaltos. “Os alunos que estudavam na Escola Augusto Carneiro estão estudando na Escola Estadual Professor Diofanto Vieira Monteiro. O problema é que o local ficou bastante inviável para todos”, disse.

Gilvânia disse que a escola funcionava há mais de 30 anos, quando a Seduc decidiu fazer a transferência.

Os surdos, acompanhados de pais e professores, interditaram trecho da Avenida Joaquim Nabuco, em frente à escola, para protestar contra a mudança. O trânsito ficou lento na área. Conforme Gilvânia, a mudança também influenciou no aprendizado dos estudantes, que sentem mais dificuldades para chegar ao colégio.

Consultada, a Seduc não respondeu até a publicação da matéria.

Seja o primeiro a comentar on "Surdos protestam em Manaus por retorno à escola especial no Centro"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.