Proibição de divulgação de pesquisas eleitorais gera dilema no Amazonas

Nas eleições de 1014, o PSDB pediu auditoria nas urnas, mas não foram encontrados indícios de fraude (Foto: TSE/Divulgação)

Pesquisas sobre intenção de votos são barradas pela Justiça Eleitoral no Amazonas (Foto: TSE/Divulgação)

MANAUS – Desde o dia 16 de agosto, oito pesquisas de intenção de voto para governador do Amazonas foram barradas pela Justiça Eleitoral no Estado. A alegação é de que não cumprem normas da legislação eleitoral. O pedido para impedir a publicação parte de candidatos que se sentem prejudicados pelos resultados das sondagens. A proibição gerou duas situações distintas: uma é que, com base nas sentenças judiciais, as pesquisas eleitorais apresentam indícios de favorecimento. Outra é que a Justiça Eleitoral priva a opinião pública de acesso à informação estatística sobre a preferência do eleitorado. Até agora tem prevalecido o interesse dos candidatos.

Seja o primeiro a comentar on "Proibição de divulgação de pesquisas eleitorais gera dilema no Amazonas"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.