CAS julgará recurso da CBF contra suspensão de Neymar em outubro

Neymar Divulgação

Neymar foi suspenso por quatro partidas após o jogo contra a Colômbia (Foto:Divulgação)

SÃO PAULO – A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) confirmou nesta sexta-feira ter recebido o recurso da CBF contra a punição imposta ao atacante Neymar, suspenso por quatro partidas pela expulsão após o jogo contra a Colômbia na última edição da Copa América, e prometeu apresentar um veredicto rápido, dando esperanças ao técnico Dunga de que a seleção brasileira possa contar com o atacante do Barcelona nos primeiros jogos das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Neymar cumpriu dois dos quatro jogos de suspensão ainda na Copa América, tendo ainda duas partidas de gancho. Assim, ao menos até o julgamento do recurso da CBF, o atacante do Barcelona está fora dos duelos com o Chile, fora de casa, em 8 de outubro, e a Venezuela, em Fortaleza, no dia 13.

A CAS destacou nesta sexta-feira que pretende apresentar a sua decisão rapidamente, no início do próximo mês, antes, portanto, do confronto com o Chile. A CBF desafia a decisão da Fifa e da Conmebol de que Neymar precisa cumprir a pena imediatamente, defendendo que o gancho fique para a próxima edição da Copa América – em 2016, será realizada uma edição comemorativa aos 100 anos de fundação da Conmebol.

Como Neymar está suspenso, o atacante não foi incluído pelo técnico Dunga na lista de jogadores convocados para os dois primeiros jogos das Eliminatórias. “O recurso está na CAS, e no momento ele está suspenso. Para jogos eliminatórios nós temos obrigatoriedade de enviar a lista com 15 dias de antecedência, e os clubes são obrigados a liberar”, disse Gilmar Rinaldi, coordenador geral das seleções.

Assim, caso a CBF consiga a liberação de Neymar na CAS, o Brasil teria que contar com a boa vontade do Barcelona para ceder o atacante para defender a seleção nas Eliminatórias.

(Estadão Conteúdo/ATUAL)

 

Seja o primeiro a comentar on "CAS julgará recurso da CBF contra suspensão de Neymar em outubro"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.