Brasil, Amazônia, pioneiros e utopias

Na sequência das publicações da FEA/USP, Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo, integrantes do projeto ‘Construção do Século XXI’, foi lançado em São Paulo, no início de fevereiro, ‘Pioneirismo e Educação Empreendedora’ o último produto editorial deste programa acadêmico, que também é pauta de debates nacionais sobre a brasilidade. A iniciativa nasce em 2001, entre os professores da FEA, tendo à frente Professor Jacques Marcovitch.

O primeiro volume ‘Pioneiros e Empreendedores – A Saga do Desenvolvimento no Brasil’, trouxe a trajetória da família Prado, de Nami Jafet, Francisco Matarazzo, Ramos de Azevedo, Jorge Street, Roberto Simonsen, Julio Mesquita e Leon Feffer é de 2003. Daí seguiu-se um extraordinário resgate de nossa memória pioneira, que alcançou o Amazonas, com Samuel Benchimol, Petronio Pinheiro, Antônio Simões, Mario Guerreiro, Moysés Israel, entre tantos empreendedores que nos ensinam o princípio sagrado e milenar da civilização humana: Omnia Vincit Labor, o Trabalho Vence Tudo, do poema Geórgicas de Virgílio, século IIaC.

Este trabalho mais recente, ‘Pioneirismo e Educação Empreendedora’, destaca a atuação dos pioneiros e empreendedores na história social do País, com a marca da Editora ComArt (ECA/USP), e traz relatos de uma experiência na aplicação da pedagogia do empreendedorismo em várias instituições paulistas de ensino. Nela, os pioneiros do Norte e Nordeste compartilharam com os educadores de São Paulo, em processo de formação e reciclagem, a importância de visitar e integrar a brasilidade em todas suas nuances e desafios.

O volume foi coordenado e organizado pelos professores da FEA/USP, Jacques Marcovitch e Alexandre Saes, que assinam o prefácio. Os projetos descritos foram desenvolvidos por alunos e professores de escolas técnicas e universidades. Estudos diversos mostram fundamentos e respectivas práticas visando à formação de novos quadros e novas mentalidades, estabelecendo metas e prevendo resultados.

O volume anterior, ‘O Brasil Reencontra os Pioneiros: Textos e Contextos Regionais’, publicado pela Edusp, reúne os estados do Ceará, Pernambuco e Amazonas, e foi lançado em 2016, no Museu da Imigração de São Paulo, organizado pelos professores Jacques Marcovitch, um parceiro Amazônico de primeira grandeza, e Maria Cristina Oliveira Bruno, com palestras dos professores Gleudson Passos (Ceará), Alfredo Mario  Lopes (Amazonas) e George F. Cabral de Souza (Pernambuco), autores dos ensaios do pioneirismo em diferentes contextos regionais políticos e econômicos. Com apoio do Cieam (Centro da Indústria do  Estado do Amazonas), mais uma vez a opinião pública tomou conhecimento das principais bandeiras da entidade, e seus alertas como o combate à burocracia, a falta de projetos do governo federal que integre o modelo ZFM no sumário de uma política industrial, ambiental e de Ciência, Tecnologia e Inovação são o que permitiria o aproveitamento das vocações e oportunidades da Amazônia, uma utopia do país, aqui entendida antecipação  de uma realidade possível.

No livro e eventos acadêmicos, com esta presença da Amazônia na Universidade de São Paulo, a economia da sustentabilidade da ZFM tem ganho espaço e visibilidade, adensando o debate Gestão da Amazônia, pontuando, a partir do Acordo do Clima, algumas teses e encaminhamentos de novas pesquisas sobre inovação, clima, desenvolvimento com baixo carbono, precificação dos serviços ambientais e demandas de infraestrutura para amparar a nova economia que ganha corpo e adesão a partir daí. Foi isto que inspirou a parceria de Doutoramento Institucional com a UEA, aproximou as universidades de São Paulo e Amazonas. A iniciativa tem sido decisiva para ampliar o leque de alianças – desde as lições e as utopias dos pioneiros – de integração de nossa contrapartida fiscal e atração de investidores comprometidos com a economia da proteção florestal do Brasil Amazônia.

Seja o primeiro a comentar on "Brasil, Amazônia, pioneiros e utopias"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.