Servidores do Ipaam queriam R$ 5 mil para não aplicar multa, diz delegado

Frankling da Silva foi um dos presos por suspeita de corrupção (Foto: Lana Honorato/PC-AM/Divulgação)

Da Redação

MANAUS – Os servidores do Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) presos pela Polícia Civil cobraram propina de R$ 5 mil para não aplicar multa em empresa de Manaus, disse o delegado Felipe Vasconcelos, do20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, 11. O fiscal analista Franklin Ramos da Silva, 39, e o assistente técnico Uziel Sevalho da Silva, 58, foram presos por crime de corrupção.

Felipe Vasconcelos disse que os agentes públicos tentaram extorquir o dinheiro de uma empresa de produção de concreto, no bairro Tarumã, zona oeste da capital. O delegado disse que a dupla alegava uma infração administrativa, levando em consideração a suposta falta de licença para o fornecimento de areia pela empresa. Segundo Vasconcelos, os servidores do Ipaam informaram à funcionária do estabelecimento que a ação geraria uma multa de até R$ 60 mil. “A fiscalização ocorreu há cerca de dez dias. Ontem, Franklin e Uziel retornaram à empresa pela manhã e fizeram a proposta para a funcionária, cobrando os R$ 5 mil. Eles ficaram de voltar à tarde para receber o dinheiro. Na primeira vez que eles solicitaram, o crime já foi configurado. A nossa equipe de investigação se deslocou até o local para acompanhar o caso e, durante o período da tarde,quando os infratores voltaram, receberam voz de prisão”, disse o delegado.

Uziel Sevalho é o outro servidor do Ipaam preso por corrupção (Foto: Lana Honorato/PC-AM/Divulgação)

Seja o primeiro a comentar on "Servidores do Ipaam queriam R$ 5 mil para não aplicar multa, diz delegado"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.