‘Cabo eleitoral’ de Bolsonaro, Sérgio Moro ganha ministério no novo governo

(Foto: Gil Ferreira/ABr)

Sérgio Moro atuou no processo eleitoral liberando um depoimento às vésperas do primeiro turno (Foto: Gil Ferreira/Ag. Brasil)

MANAUS – O juiz Sérgio Moro, inegavelmente, atuou como “cabo eleitoral” de Jair Bolsonaro (PSL), em momento crucial da corrida eleitoral, e agora é premiado com uma pasta no governo que começa em 1° de janeiro de 2019.

No dia 1° de outubro, uma semana antes do primeiro turno das eleições presidenciais, quando o candidato do PT, Fernando Haddad aparecia nas pesquisas de intenção de voto em franca ascensão, o juiz da Lava Jato retirou o sigilo e liberou para a imprensa uma parte da delação premiada do ex-ministro de Lula Antonio Palocci.

O depoimento foi tomada em abril deste ano, Sérgio Moro teve acesso a ele em junho, dois dias depois que a delação foi homologada pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), mas guardou as informações para o momento oportuno, ou seja, para a campanha eleitoral.

O depoimento de Palocci, o primeiro de uma série de depoimentos prestados no âmbito da Lava Jato, foi amplamente utilizado pela campanha de Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial. Ou seja, Moro prestou um excelente serviço à campanha do capitão reformado.

Bolsonaro, inclusive, em entrevista a uma emissora de TV, na segunda-feira, chegou a dizer que Moro já era cotado para seu ministério, mas não revelou isso na campanha porque “soaria oportunismo” da parte dele.

1 Comentário on "‘Cabo eleitoral’ de Bolsonaro, Sérgio Moro ganha ministério no novo governo"

  1. O choro é livre seu esquerdista!!!!
    Vai trabalhar agora

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.