Amazon exclui Woody Allen e diretor processa gigante da internet

woody allen
O processo, que corre em Nova York, pede US$ 68 milhões (Foto: Divulgação/ Facebook)
Da Folhapress

SÃO PAULO – O diretor Woody Allen está movendo uma ação contra a Amazon Studios por a empresa dar para trás no acordo de produzir quatro filmes motivada, segundo Allen, por “alegações de 25 anos, sem embasamento”. 

A alegação em questão é a de que Allen teria molestado Dylan Farrow, filha adotiva de sua então mulher, Mia Farrow. Na época, o cineasta afirmou que Mia manipulou a garota.

O processo, que corre em Nova York, pede US$ 68 milhões (cerca de R$ 253 milhões) em pagamentos de garantia pelos quatro filmes, além de indenização por danos e honorários dos advogados. O primeiro deles, “A Rainy Day in New York”, com Timothée Chalamet, Diego Luna e Elle Fanning, está concluído há mais de seis meses, mas sem perspectiva de lançamento. 

Segundo o diretor, a Amazon se recusou a estrear o longa sem apresentar razões sólidas. “Essa alegação [de molestar a filha] já era bem conhecida da Amazon (e do público) antes de a Amazon firmar quatro acordos separados com Allen – e, em qualquer caso, não fornece uma base para rescindir o contrato”, diz o texto da ação. “Simplesmente não havia base legítima para a Amazon renegar suas promessas.”

Embora o caso seja antigo, entre a assinatura do contrato com a Amazon e o não lançamento do filme prontinho do consagrado diretor está a onda antiassédio que tomou os EUA após o movimento #MeToo.

Seja o primeiro a comentar on "Amazon exclui Woody Allen e diretor processa gigante da internet"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.