Permaneçam como estão

Um dos procedimentos mais insólitos e curiosos das decisões coletivas é a votação do tipo ‘permaneçam como estão’.

A primeira vez que presenciei, fiquei estranhando: “Era assim mesmo? Cadê os debates, o confronto de ideias? Onde estava a expressão do contraditório?”.

É que nessas deliberações, em vez de o membro precisar manifestar fisicamente o seu voto – ficando de pé ou erguendo a mão – basta a ele seguir o fluxo da lei do menor esforço e ficar parado para a concordância ser estabelecida.

Neste tipo de votação, quem preside a sessão anuncia: “Aqueles que aprovam, permaneçam como estão”. Imediatamente em seguida, declara: “Aprovado”.

Pelo que observei, não contam piscadas, tiques nervosos ou respirações profundas. Dá vontade de apontar: “aquele ali pegou a caneta!”.

Normalmente isso ocorre em votações simbólicas. Quando as questões já foram previamente discutidas e acertadas. Quando já está tudo combinado. Tudo dominado.

É interessante, porém, esse simbolismo: permanecer sentado, parado, imóvel e continuar adotando a mesma postura significa que você está concordando com o que foi acertado antes. Significa também que você está aceitando as coisas exatamente como elas estão.

Para demonstrar contrariedade e não aceitação, é preciso adotar alguma ação que sinalize o desejo de mudança.

No futebol há uma expressão com uma ideia similar: “Em time que está ganhando não se mexe”. A frase passa a ideia de que a substituição de um jogador, por exemplo, pode atrapalhar o entrosamento do time, afetar a união do elenco e o conjunto atuar mal. Ou, ainda, que a alteração na forma tática do time de jogar vai diminuir o rendimento final da equipe.

É verdade que mexidas podem prejudicar o desempenho de um time, mas a frase ignora que as medidas também podem ajudar a melhorar. Muitas vezes é necessário mexer para continuar ganhando.

Outra curiosidade da frase é que ela também transmite a concepção de que só se deve adotar atitudes diferentes apenas quando o “placar estiver adverso”. É realmente a melhor postura “Esperar começar a perder para mexer no time”? Sempre vai ter tempo para as mexidas surtirem efeito?

No esporte, há um placar para mostrar exatamente em que ponto o seu time está. Na vida, nem sempre se consegue perceber claramente quando você está ganhando ou perdendo. Não é raro ouvir alguém dizer após um revés significativo: “Eu achava que estava tudo bem!”

Ademais, o placar da vida não é assim tão fácil de ler. Há coisas que parecem ser muito ruins e, depois, se revelam positivas. Há também ocorrências que aparentam ser benéficas e, na verdade, são destrutivas.

Além disso, mesmo quando se tem plena certeza que o placar está favorável ainda se enfrenta algumas instâncias que alteram as regras do jogo durante a partida e a vantagem vira prejuízo, o triunfo antes certo se transforma em derrota acachapante.

Muitas dessas mudanças nas regras estão sendo decididas agora. Depois de tudo acertado, só vai ter aquela votação simbólica do tipo: “Os favoráveis fiquem do mesmo modo que estão”.

O fato é que se você avalia que está tudo bem e que se melhorar estraga, sem problema: é só deixar pra lá. Agora, se você entende que não está bom e que mudanças são necessárias, é essencial lembrar da votação: está concordando com tudo quem permanece como está.

1 Comentário on "Permaneçam como estão"

  1. Parabéns Enoch mais uma vez pela leveza do texto e a profundidade da reflexão!!! Afinal podemos sempre melhorar algo mesmo que já esteja bom. Um abraço.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.