Fachin submete pedido de prisão de Aécio ao plenário do STF

Ministro Edson Fachin submeterá pedido de prisão à votação no plenário do STF (Foto: Roberto Jayme/TSE)

BRASÍLIA – A PGR (Procuradoria Geral da República) pediu a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG). O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu submeter ao plenário do tribunal o pedido de prisão do tucano.

A Polícia Federal cumpre nesta quinta-feira, 18, mandados judiciais nas casas e nos gabinetes dos senadores Aécio Neves e Zezé Perrella (PMDB-MG), além de endereços de várias pessoas a eles ligadas, entre elas a irmã do tucano, Andréa Neves, e o filho do peemedebista, Gustavo Perrella.

As medidas foram autorizadas pelo ministro Fachin, relator da Lava Jato no STF. A operação mira citados na delação do empresário Joesley Batista, da JBS, e de outros empresários do grupo.

Além do gabinete no Senado, os policiais estão nos apartamentos de Aécio em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, além da fazenda dele, em Cláudio (MG). Também há medidas judiciais sendo cumpridas contra Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador apontado por Joesley como intermediário para o pagamento de R$ 2 milhões ao congressista.

Há ainda mandados sendo cumpridos no gabinete em Brasília, na casa e no escritório de Zezé Perrella em Belo Horizonte, fora endereços de um contador e de empresas ligadas a ele. A PF vasculha também a casa do doleiro Gaby Amine Toufic, em Belo Horizonte, e de funcionários do peemedebista, incluindo o assessor Mendherson Souza.

Prisões

Andrea Neves, irmã de Aécio, foi presa em Belo Horizonte acusada de pedir dinheiro para Joesley Batista em nome do irmão. Um primo do presidente do PSDB também foi preso preventivamente pela Polícia Federal. Frederico Pacheco de Medeiros, conhecido como Fred, teria sido filmado recebendo R$ 2 milhões a mando de Joesley Batista.

Além dele, Menderson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG) também foi preso. Todos foram citados na delação de Joesley Batista. Em todos os casos os mandados são de prisão preventiva e foram autorizados pelo STF.

(Estadão Conteúdo/ATUAL)

Seja o primeiro a comentar on "Fachin submete pedido de prisão de Aécio ao plenário do STF"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.