Sílvio Santos tentou bajular Bolsonaro com slogan nacionalista

Silvo Santos

A frase utilizada em uma das vinhetas do SBT ficou conhecida como slogan do período da ditadura militar brasileira (Foto: reprodução)

MANAUS – Ontem eu cheguei em casa, tomei um banho, liguei a TV e dei de cara com o slogan histórico da época da ditadura militar. Não queria acreditar que aquilo de fato estava acontecendo. A gente nem precisa de muitas horas de leitura para entender quão prejudicial é trazer o passado para o que vivemos hoje.

Começou com um slogan bem mais sonoro: “America: love it or leave it”, nos EUA dos anos 50. Quem criou este “America: ame-a ou deixe-a” foi um radialista extremamente popular na época, Walter Winchell (1897-1972).

Por essas, o “love it or leave it” acabou conhecido mundialmente. E ganhou sua tradução para o português em 1973. Pressionado pela crise do petróleo, o governo Médici decidiu investir pesado em propaganda. Contratou publicitários que lhe apresentaram a frase como uma solução, ao mesmo tempo, nacionalista e clara para os opositores ao regime militar.

A ideia de bajulação não deu muito certo, os telespectadores não perdoaram e foi uma enxurrada de críticas contra o dono do SBT que voltou atrás e tirou do ar o slogan. Em nota oficial, emissora declara que ‘não se atentou que este bordão foi forte na época do regime militar’

Seja o primeiro a comentar on "Sílvio Santos tentou bajular Bolsonaro com slogan nacionalista"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.