Falta de ministros adia eleição de Lewandowski para a presidência do STF

O ministro Ricardo Lewandowski será aclamado presidente do STF em votação simbólica, como reza a tradição de escolha pelos ministros (Foto: Carlos Humberto/STF)

BRASÍLIA – O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (1º) adiar a votação simbólica da eleição do ministro Ricardo Lewandowski para a presidência da Corte. Os ministros entenderam que não seria conveniente realizar a votação sem a presença dos ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, que não compareceram à sessão.

Com a decisão, Lewandowski continua interinamente como vice-presidente da Corte. A votação deve ser realizada na próxima semana. “A Corte entendeu que, com ausência de dois ministros, não seria conveniente realizar um ato de tamanha importância, que é a eleição do futuro presidente da Corte, com um plenário reduzido”, explicou Lewandowski.

A eleição foi marcada para sessão de hoje pelo ex-presidente Joaquim Barbosa. No dia 28 de julho, antes da publicação de sua aposentadoria, Barbosa determinou que a sessão de hoje fosse destinada à eleição para efetivar Lewandowski na presidência do tribunal.

No entanto, de acordo com o Regimento Interno do STF, a eleição do novo presidente deve ser feita na segunda sessão após a vacância do mandato. Como o decreto de aposentadoria de Barbosa foi publicado ontem (31), o pleito não poderia ocorrer na sessão desta sexta-feira.

Seja o primeiro a comentar on "Falta de ministros adia eleição de Lewandowski para a presidência do STF"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.