Com fusão, Ministério da Economia reduziu 2,9 mil cargos em comissão

O ministro da Economia, Paulo Guedes , passou a tesoura nos cargos comissionados (Foto: Fabio Pozzebom/ABr)
Da Agência Brasil

BRASÍLIA – Resultado da fusão de quatro antigos ministérios – Fazenda; Planejamento; Indústria, Comércio Exterior e Serviços; e parte da estrutura do Trabalho – gerou a redução de 2,9 mil cargos. O novo quadro dos cargos em comissão e das funções de confiança entrou em vigor nesta quarta-feira, 30.

A economia em dinheiro não foi informada. Os funcionários serão dispensados nesta quinta-feira, 31. De acordo com a pasta, foi necessário um período de transição em janeiro para não demitir todos os comissionados de uma vez e afetar a continuidade do ministério.

Nos últimos 28 dias, o Ministério da Economia adotou medidas para alocar os servidores dentro da nova estrutura, publicar os atos de nomeação e definir a correspondência entre as funções dos órgãos extintos e do novo ministério.

A fusão permitiu a redução de 243 cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS), 389 funções comissionadas do Poder Executivo (FCPE) e mais 2.355 funções gratificadas, totalizando 2.987 cargos extintos.

Agora, o Ministério da Economia tem 3.612 cargos comissionados distribuídos da seguinte forma: 1.569 cargos de DAS e 2.043 Funções Comissionadas do Poder Executivo (FCPE). Essas últimas só podem ser ocupadas por servidores concursados.

Seja o primeiro a comentar on "Com fusão, Ministério da Economia reduziu 2,9 mil cargos em comissão"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.