Professores da Ufam realizam ato em defesa dos serviços públicos e contra a Reforma da Previdência neste dia 14

Os professores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) decidiram, na tarde desta segunda-feira, dia 11 de setembro, em Assembleia Geral (AG), aderir ao Dia Nacional de Luta em defesa dos serviços públicos e contra a Reforma da Previdência, nesta quinta-feira, dia 14 de setembro, juntamente com a Frente de Lutas Fora Temer de Manaus. Panfletagem e roda de conversa sobre as medidas impostas pelo governo ilegítimo de Michel Temer estão na programação da mobilização. Na assembleia, os docentes discutiram também as reformas no prédio do Associação dos Docentes da Ufam (ADUA) e definiram os delegados que irão representar a seção sindical no 3º Congresso Nacional da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas).
Panfletagem, faixas e carros de som serão usados pelos professores para chamar a atenção da população e da comunidade acadêmica no dia 14, às 7h, no Bosque da Resistência, que fica em frente ao campus da universidade, na Avenida General Rodrigo Otávio, no bairro Coroado. Na Assembleia, foi definido, ainda, que os professores irão realizar panfletagem pelas salas de aula para conversar com alunos e professores e promoverão, ainda, uma roda de conversa, no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), no período da tarde, sobre as contrarreformas propostas por Temer, principalmente sobre a da Previdência.
“Uma das nossas lutas é contra a Contrarreforma da Previdência, nós entendemos que o governo está tentando emplacar uma medida voraz, que acaba com os direitos sociais, conquistados historicamente, e mexe com a Constituição, a ideia é marcar um dia de mobilização para que a categoria comece a perceber que é preciso avançar contra esse governo que está sendo voraz em colocar medidas que contribuem para a precarização da universidade e de diversos outros segmentos”, explicou o presidente da ADUA, professor Aldair Andrade. Segundo o docente, além da Frente de Lutas Fora Temer, a seção sindical irá somar forças com outras representações como o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam).
Andrade explicou que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287 diz respeito aos recursos da Previdência Social e incorpora novo tempo de contribuição para os professores. “Com a PEC 287, a modalidade ‘aposentar por tempo de serviço’ quase desaparece porque a gente teria que ter um tempo maior de contribuição e quem atingir a idade, na realidade se aposentar por idade, vai levar um vencimento que é proporcional. De certa forma, a PEC 287 impõe que todos comecem a se aposentar por idade e não mais por tempo de contribuição, porque você aumenta o tempo de contribuição”, explicou o docente.

Congresso e Reforma

Durante a AG os docentes elegeram os delegados da ADUA no 3º Congresso Nacional da CSP-Conlutas, que será realizado de 12 a 15 de outubro deste ano, em Sumaré (SP). Os delegados escolhidos foram os professores José Alcimar de Oliveira, Aldair Andrade e Marcelo Vallina. Em caso de desistência de algum destes docentes irá ocupar a vaga a delegada suplente, professora Elizandra da Silva, de Parintins, que recebeu 11 votos, em AG realizada no município. A professora Laura Miranda, do campus da Ufam de Humaitá, teve 13 votos. Os campi de Coari e Benjamin Constant não realizaram assembleia por falta de quórum, enquanto que em Itacoatiara não houve convocatória de AG para deliberar a pauta.
Em relação à reforma do prédio da ADUA foi decidido, em assembleia, que será solicitada a tomada de preços de, pelo menos, três empresas para execução do projeto. Os valores serão apresentados para todos os docentes em uma próxima Assembleia Geral que será marcada.

Seja o primeiro a comentar on "Professores da Ufam realizam ato em defesa dos serviços públicos e contra a Reforma da Previdência neste dia 14"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.