Multa por greve ilegal em Manaus é revertida para assistência social

GREVE ÔNIBUS 1A

Greve de ônibus acabou em multa e dinheiro foi revertido para entidade filantrópica de Manaus (Foto: Valmir Lima)

Da Redação

MANAUS – Multa de R$ 10 mil ao Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Manaus (STTRM), por greve irregular, beneficiou 140 crianças e adolescentes, de 6 a 17 anos, em situação de risco social. O dinheiro foi destinado para pagar uma colônia de férias. A punição foi pela paralisação de ônibus no dia 1º de novembro do ano passado, considerada ilegal pelo Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11).

O foi repassado à Associação Pequeno Nazareno (OPN), que mantém projetos filantrópicos em parceria com o Fórum de Erradicação ao Trabalho Infantil no Amazonas (Fepeti), escolhida pelo Ministério Público do Trabalho em audiência no dia 1° de dezembro de 2016. ‘De férias sim, na rua não!’ foi o tema da atividade, destinada aos meninos que tentam ganhar dinheiro fazendo malabarismo com frutas e bolas nos semáforos de Manaus. Cerca de 90% deles moram no bairro Colônia Antonio Aleixo, na zona leste da capital.

A colônia de férias começou no dia 9 e vai até o dia 28 desde mês com participação dos pais. As crianças e adolescentes participam de atividades de teatro, grafite, circo, oficina de flauta doce, aulas de patins e orientação sobre o risco das drogas. “A Colônia de Férias é um gesto concreto de amor e paz. É mais uma ação contra o trabalho infantil. Criança não é de rua”, disse Elaine Elamid, coordenadora da OPN.

A multa aplicada aos rodoviários atendeu ação do Sinetram (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas) que alegou ‘abusividade’ da greve. O desembargador Jorge Alvaro Marques Guedes proferiu decisão liminar determinando o imediato retorno ao trabalho dos rodoviários, com multa arbitrada em R$ 10 mil por hora de paralisação.

Seja o primeiro a comentar on "Multa por greve ilegal em Manaus é revertida para assistência social"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.