Com ajuda de inglês e francês, Ceni sonha com ‘elenco palmeirense’

Rogério Ceni (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Rogério Ceni terá auxiliares europeus para reformular o São Paulo (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

SÃO PAULO – A delegação do São Paulo acaba de ganhar mais duas nacionalidades. Depois de apostar nas duas últimas temporadas em treinadores estrangeiros, a equipe comandada por Rogério Ceni terá na comissão técnica um inglês e um francês, que foram apresentados nesta quinta-feira,5, no CT da Barra Funda. Os dois prometeram ter condições de se adaptar ao novo ambiente de trabalho e contribuir com o clube.

O inglês Michael Beale e o francês Charles Hembert foram colegas de Ceni no curso de técnico promovido pela Federação Inglesa de Futebol e abriram mão de antigos empregos para comporem a equipe de trabalho tricolor. Beale deixou o sub-23 do Liverpool para ser auxiliar técnico. Hembert trabalhava em uma agência que atua na logística para equipes de futebol e será o supervisor técnico.

“Estou muito feliz com a oportunidade. É um grande clube. Tenho respeito pelo Rogério, aprendo todo dia”, afirmou Beale, que há um mês começou a estudar português e já consegue se comunicar no idioma. “Sempre vi na Inglaterra vários jogadores estrangeiros. Muitos deles eram brasileiros. Então vim para cá para ter essa experiência. É uma grande oportunidade para mim”, comentou.

Hembert elogiou o São Paulo pela coragem em recrutar dois estrangeiros. Ele ressaltou ter trabalhado com logística para equipes durante a disputa da Copa América e da Copa do Mundo, o que lhe possibilitou boas experiências. “Posso ter um balanço de tudo isso, tanto das delegações, como das organizações dos eventos. Assim, tenho um panorama de tudo”, disse. O francês já morava no Brasil e fala português com fluência.

Rogério Ceni afirmou que escolheu os dois por confiar na capacidade de ambos demonstrada durante a convivência no curso e pelo trabalho anterior da dupla no futebol. “Eles vão trazer a experiência da Europa, vão me ajudar nos treinos. Espero que os resultados venham. Vamos tentar montar uma equipe forte e competitiva”, explicou.

Um dos auxiliares de Ceni, o inglês Beale publicou livros sobre diferentes métodos de treinamento para times de futebol. Hembert tem no currículo o trabalho na logística da seleção de Camarões durante a Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

Palmeiras

Ceni aguarda mais reforços no São Paulo para ter um elenco mais perto do considerado ideal. “Não tenho um elenco que o Palmeiras tem, de jogadores consagrados, de nome. Ainda seriam necessárias duas a três peças para ter um time ideal”, afirmou. O São Paulo confirmou para 2017 as vindas do meia Cícero, dos atacantes Wellington Nem e Neílton, mais o goleiro Sidão. A diretoria disse ter negociado, até agora sem sucesso, com o atacante Colman, do Nacional, do Paraguai.

Ceni explicou que considera ideal trabalhar com um elenco de 29 jogadores, dos quais quatro seriam goleiros. Atualmente o técnico conta com 28 atletas, sendo que metade deles são revelados nas categorias de base. “Essa presença grande de quem veio de Cotia precisa ser ressaltada. Alguns garotos vão ganhar experiência ao serem emprestados para outras equipes para a disputa do Campeonato Paulista. Gosto de trabalhar com esse perfil de quem tem até 23 anos, mesclado com a experiência de outros jogadores”, comentou.

 (Estadão Conteúdo/ATUAL)

Seja o primeiro a comentar on "Com ajuda de inglês e francês, Ceni sonha com ‘elenco palmeirense’"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.