Veteranos na política amazonense ficam sem mandato nas eleições de 2018

Deputados e senadora não conseguiram se reeleger para a legislatura 2019-2022 (Foto: Facebook/Reprodução)

Por Felipe Campinas, da Redação

MANAUS – Dezoito políticos vão terminar o mandato em 2018 no Amazonas e vão para casa. Não conseguiram se reeleger ou se eleger em outros cargos que disputaram. A renovação foi de mais de 50% na ALE (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas) e nas bancadas amazonenses da Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Dos deputados que tentaram continuar na ALE até 2022, cinco não conseguiram votos suficientes. São eles: Sabá Reis (PR), que já teve um mandato de vereador e cinco como deputado estadual; Mário Bastos (PSD), que teve dois mandatos como vereador e um como deputado estadual; Vicente Lopes (PV), com um mandato como vereador e cinco como deputado estadual; e Wanderley Dalas (Solidariedade), com um mandato de vereador e quatro de deputado estadual.

Há também deputados de primeiro mandato que não conseguiram votos suficientes para se reeleger, como o deputado estadual Platiny Soares (PSB), eleito em 2014 com o apoio do ex-governador José Melo.

Os deputados estaduais Francisco Souza (Podemos) e Orlando Cidade (PV) tentaram o cargo de deputado federal, mas não foram eleitos. Souza teve três mandatos de deputado estadual e Cidade, dois mandatos para o mesmo cargo.

Luiz Castro (Rede) foi candidato a senador, mas com a apuração das últimas urnas foi ultrapassado pelo atual senador Eduardo Braga (MDB). Castro teve dois mandatos como prefeito de Envira e está no quinto de deputado estadual.

David Almeida (PSB) disputou ao Governo do Amazonas, mas ficou em terceiro lugar. O deputado, que é presidente da ALE, soma três mandatos.

Abdala Fraxe (Podemos) teve candidatura indeferida e Carlos Alberto não tentou a reeleição. Fraxe teve dois mandatos de deputado estadual e Carlos Alberto teve um mandato como vereador de Manaus e três de deputado estadual.

Brasília

No Senado, Vanessa Grazziotin (PCdoB) buscava a reeleição, mas foi ultrapassada por Plínio Valério (PSDB), Luiz Castro (Rede) e Alfredo Nascimento (PR). A senadora, que encerra o mandato em 2018, foi eleita pela primeira vez como vereadora 1988, teve três mandatos no legislativo municipal, três de deputada federal e um de senadora.

Na Câmara Federal, Conceição Sampaio (PMDB) e Pauderney Avelino (DEM) tentaram a reeleição, mas não tiveram votos suficientes. Sampaio teve um mandato de vereadora, dois de deputada estadual e um de deputada federal. Avelino está no sexto mandato na Câmara dos Deputados.

Outros dois deputados tentaram o Senado Federal, mas, como o baixo número de votos, deverão ficar fora do Congresso Nacional do próximo ano: Hissa Abrahão (PDT) e Alfredo Nascimento (PR). Abrahão teve um mandado de vereador, foi vice-prefeito de Manaus, secretário municipal e em 2014 se elegeu deputado federal. Nascimento teve dois mandatos como prefeito de Manaus, um de senador e um de deputado federal.

O deputado federal Arthur Bisneto (PSDB) tentou o Governo do Amazonas como candidato a vice do senador Omar Aziz (PSD), que tem o mandato garantido até 2022. Bisneto teve um mandato de vereador de Manaus e quatro de deputado estadual e, em 2014, se elegeu com o deputado federal mais votado do Amazonas.

Seja o primeiro a comentar on "Veteranos na política amazonense ficam sem mandato nas eleições de 2018"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.