Uma decisão equivocada das autoridades de segurança em Manaus

Publico pouco na chuva sambódromo

Sem proteção, público fugiu das arquibancadas no início do desfile da Andanças de Ciganos (Foto: Valmir Lima)

MANAUS – Quem saiu de casa para ir ao sambódromo de Manaus e estava desavisado da medida adotada pela Secretaria de Segurança Pública, qual seja, a de que não poderia entrar com sombrinha ou guarda chuva, foi barrado(a) na porta. Barraqueiros próximos das entradas para revista dos foliões cobravam R$ 5 para guardar o guarda chuva. A decisão de proibir a entrada de pessoas com esse acessório de proteção é despropositada. Neste fevereiro, Manaus vem sendo castigada pela chuva. Ontem nem precisava consultar os institutos de meteorologia para saber que iria chover à noite. Muita gente foi embora. Depois as autoridades reconheceram o equívoco da decisão e liberaram a entrada de sobrinhas e guarda chuvas, ou os visitantes deram um jeito de burlar a segurança. Muita gente apareceu nas arquibancadas com os acessórios. Mas para as autoridades, um guarda chuva é uma arma.

 

Seja o primeiro a comentar on "Uma decisão equivocada das autoridades de segurança em Manaus"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.