Temer diz que jamais pediu pagamento para obter silêncio de Cunha

Michel Temer e Eduardo Cunha são citados na delação de Joesley Batista, dono da empresa JBS (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

BRASÍLIA – Em nota à imprensa, o Palácio do Planalto informa que o presidente Michel Temer (PMDB) jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), preso e condenado pela Operação Lava Jato. Nesta quarta-feira, 17, reportagem do Jornal O Globo revelou que o empresário Joesley Batista, dono do Grupo JBS, em delação premiada apresentou gravações em que temer teria incentivado ele a manter o pagamento de propina a Cunha para manter o silêncio.

Na nota, Temer diz que se reuniu com o empresário Joesley Batista, mas “jamais” tentou evitar a delação do deputado cassado Eduardo Cunha.

De acordo com o Globo, Joesley Batista entregou ao Ministério Público Federal gravação de conversa dele com Temer na qual foi discutida a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

Leia a íntegra da nota

NOTA À IMPRENSA

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

Seja o primeiro a comentar on "Temer diz que jamais pediu pagamento para obter silêncio de Cunha"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.