Reforma da Previdência é herança de 2016 para 2017

O ano de 2016 deixou uma herança para 2017, que é a discussão sobre a reforma da Previdência. E isso, na verdade, é um fantasma que sempre acompanha as discussões no serviço público e na iniciativa privada. Primeiro começou com a reforma de 1998, no Governo Fernando Henrique Cardoso, e depois veio a reforma de 2003, no Governo Lula. Agora, temos essa reforma que vem pela frente e traz obviamente grandes polêmicas.

A situação previdenciária é óbvio necessita de grandes atenções e demanda permanentes adequações. Agora, dentre todas as polêmicas que vem pela frente, não posso colocar num grande balaio pessoas que estão em situação diversa. De acordo com os cálculos postos à disposição para alguém se aposentar com proventos integrais, a pessoa terá que trabalhar durante 39 anos.

Eu não posso calcular da mesma forma quem trabalha 39 anos em um escritório com todo conforto e quem trabalha 39 anos na rua como gari, tapa-buraco ou lavrador. Porque é certo que essas pessoas que trabalham nestas condições por 39 anos não vão conseguir nem chegar a se aposentar. É uma questão bastante séria. E é importante observar que o princípio da igualdade previsto na Constituição exige que haja um desequilíbrio nas faixas de acordo com as condições pessoais de cada um dos grupos.

Não é atoa que existe diferenças entre os tempos de aposentadoria entre homens e mulheres. E é óbvio que o Brasil precisa observar com responsabilidade que os trabalhadores que demandam de grande força para sobreviver não podem ser colocados no mesmo padrão de pessoas que trabalham em conforto num gabinete.

Seja o primeiro a comentar on "Reforma da Previdência é herança de 2016 para 2017"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.