Quão privado são na verdade as redes sociais?

Por Ramon Nunes

MANAUS – Redes sociais revolucionaram a forma como as pessoas interagem com amigos e familiares. Apesar destas redes sociais como o Twitter, Snapchat, Facebook e Instagram terem um papel importante nas vidas desta geração, estas também têm um risco de privacidade associado. Especialmente os mais jovens, é crucial compreender os riscos de privacidade envolventes com a utilização de redes sociais. No início de 2018, as atenções viraram-se para o escândalo do Facebook, depois de ser partilhado o facto de que os dados privados de mais de 87 milhões de usuários da plataforma social teriam sido partilhados com a consultadora política Cambridge Analytica, uma empresa que no passado já esteve envolvida em algumas controvérsias. Alguns exemplos de riscos de privacidade nas redes sociais incluem:

  • Roubo de identidade: Cerca de 12 milhões de pessoas em 2012 foram vítimas de roubo de identidade que levaram a situações fraudulentas indesejadas. Organizações financeiras e outras empresas que lidam com informação pessoal estão a alterar a forma como lidam com estes dados confidenciais de modo a manterem-se protegidos contra hackers.
  • Pedidos falsos de contas spam: Em redes sociais, especialmente no Facebook e Twitter, vários usuários criam contas falsas para poder enviar spams. Estas mensagens geralmente contêm algum tipo de vírus que pode afetar os nossos aparelhos eletrônicos, e uma pessoa deve de sempre verificar a conta de quem está recebendo pedidos de amizade ou mensagens privadas.
  • Riscos de partilhas: Uma das últimas novidades das redes sociais é a partilha da localização em fotos. Esta nova característica é uma verdadeira ameaça para a confidencialidade da vida pessoal de um indivíduo pois permite os predadores das redes sociais colherem informações sobre os locais que uma pessoa frequenta e possivelmente onde mora.
  • Roubo do perfil: Roubo de contas de rede sociais são um dos esquemas mais comuns de criminosos nas redes sociais. Pode demorar apenas alguns minutos até um hacker decifrar a palavra-chave de um usuário e ter assim acesso à conta da rede social.
  • Aplicativos falsos e sites maliciosos: Existem diversos aplicativos falsos e sites maliciosos criados unicamente para roubar dados pessoais como números de celular, endereços de e-mail, palavras-chave e/ou moradas residenciais. Ter acesso a estes dados aumentam o risco de casos fraudulentos para um indivíduo e pode causar graves distúrbios financeiros.

Existem certamente pequenos passos que pode fazer para melhorar a segurança e proteger a sua privacidade. Coisas como uma palavra-chave mais segura, utilizar autenticadores de dois passos e verificar as definições de privacidade são apenas alguns fatores em ter em consideração no que toca à segurança dos seus dados em redes sociais.

Seja o primeiro a comentar on "Quão privado são na verdade as redes sociais?"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.