Proamazônia: na rota das novas matrizes econômicas

O PROAMAZÔNIA é um Programa interdisciplinar e interinstitucional que foi delineado em maio de 2015, no contexto do alinhamento da Estratégia Nacional de Defesa com a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, na perspectiva da interseção de áreas científicas conectadas ao desenvolvimento regional e Soberania Nacional. Com essa premissa, inclui capacitação de recursos humanos, integração com as entidades de fomento, CTI, e do setor produtivo, visando ampliar os meios que permitam a expansão das pesquisas científicas e tecnológicas na Amazônia. Também visa prover para futuras gerações meios que possam contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável na região amazônica. Nesta semana, nos dias 30 de novembro, 1 e 2 de dezembro, no Centro de Convenções Vasco Vasquez, a tribo foi reunida em torno dos seguintes temas: ÁGUA POTÁVEL, ALIMENTOS, SAÚDE, ENERGIA, COMUNICAÇÃO, TRANSPORTE, estribados num contexto transversal com o objetivo de delinear as premissas do POLO PARQUE CIENTÍFICO TECNOLÓGICO para toda a Amazônia. Os atores e apoiadores do Programa são o Exército Brasileiro, o Governo do Amazonas, o Comando Militar da Amazônia, CIEAM, FIEAM, CERTI, UEA, UFAM, INPA e CBA.

CBA sugere bionegócios

Responsável pelo tema dos Alimentos, o CBA, Centro de Biotecnologia da Amazônia, uma entidade que começa a consolidar seu protagonismo no polo de bioindústria, sob a batuta do Químico Adrian Pohlit, trouxe 10 pesquisadores para expor negócios, pesquisas e oportunidades, itens que agregam saídas e novas matrizes econômicas nos bionegócios regionais. E com os temas extraídos da rotina milenar alimentícia do extrativismo, os pesquisadores, sob a coordenação do cientista Paulo Benevides, apresentaram as oportunidades de fruticultura com os alimentos tradicionais, a biotecnologia de alimentos, e entre eles os alimentos funcionais, incluindo aqueles voltados para saúde. Foram abordados ainda os itens de produção de mudas para propagação de espécies alimentícias “In vitro” como o tucumã, a castanha e a pupunha. Ligado a questão alimentar, o Inpa apresentou os diversos produtos de suas pesquisas, a exemplo do purificador de água – Água Box, tecnologia que o Exército já manifestou interesse em utilizar nas áreas de fronteiras. Sob a batuta de Carlos Bueno, a instituição apresentou a casa ecológica construída a partir de bambu, chapas de buriti e inajá para forros e divisórias e tijolo vegetal para construção civil e que dispensa o uso do cimento.

Desafios e avanços

“Em busca de novas matrizes econômicas”, o mesmo tema do encontro histórico, ocorrido em 2013, no encerramento da Mostra Pioneirismo Brasileiro e o Estado do Amazonas, retomam os desafios e revelam seus avanços no âmbito do Proamazônia, visando consumar novas parcerias. No Workshop desta semana, foi colocado em debate o desafio destas sete áreas: energia, comunicações, água potável, construção, alimentos, saúde e transporte. Com esses dados será possível mensurar possibilidades econômicas da região e colaborar com a diversificação da economia do Estado que, atualmente, é centralizada no Polo Industrial de Manaus. O grande acerto da iniciativa é conjugar talentos e projetos que emanam das atividades dos pesquisadores de diversas instituições, empresas da iniciativa privada brasileira e estrangeira e governamentais. Só assim, cada um pode partilhar, rever, melhorar e colocar à disposição da sociedade seus produtos, permitindo que as diversas empresas da iniciativa privada, possam tirar das bancadas dos laboratórios e transformá-las em produtos para novos negócios, rentáveis e sustentáveis.

Economia, defesa e integração

O I Workshop Proamazônia possibilitará às empresas do Polo Industrial de Manaus estarem lado a lado com as indústrias de Defesa do Brasil e do exterior com vistas a apresentarem soluções inovadoras que contribuam com o desenvolvimento sustentável na Amazônia. O evento ocorre, simultaneamente, com o Seminário Internacional de Operações na Selva (Siopselva 2016), no Centro de Convenções Vasco Vasques. O Siopselva reúne os maiores especialistas brasileiros e estrangeiros em operações militares na selva que debaterão novas ideias e soluções e compartilharão experiências.

Esta Coluna é publicada às quartas, quintas e sextas-feiras, de responsabilidade do CIEAM. Editor responsável: Alfredo MR Lopes. cieam@cieam.com.br

Seja o primeiro a comentar on "Proamazônia: na rota das novas matrizes econômicas"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.