Polícia ocupa zona leste de Manaus após prefeito denunciar intimidação de traficantes a agentes de saúde

Policiais civis realizaram abordagens em trechos da Avenida Grande Circular, na zona leste de Manaus (Foto Patrick Motta/ATUAL)

Policiais civis realizaram abordagens em trechos da Avenida Grande Circular, na zona leste de Manaus (Foto Patrick Motta/ATUAL)

Da Redação/Com Estadão Conteúdo

MANAUS – A Polícia Civil do Amazonas realiza a ‘Operação Sarampo’ na zona leste de Manaus, na manhã desta quinta-feira, 19, apenas 12 horas após o prefeito Arthur Virgílio Neto denunciar a intimidação de traficantes à equipe de vacinação da Semsa (Secretaria Municipal de Saúde) e a uma equipe de televisão em área do bairro Jorge Teixeira. Os agentes de saúde, segundo denunciou o prefeito em sua página no Facebook, foram impedidos de entrar em parte do bairro na noite dessa quarta-feira.

A região da ocorrência tem a maior incidência da doença na capital amazonense e recebia ação de casa em casa. Um homem foi detido, dois carros e quatro motocicletas apreendidas.

Sobre a denúncia do prefeito, a SSP-AM (Secretaria de Segurança Pública do Amazonas) determinou que o caso de ameaças seja investigado pela Polícia Civil. Na noite dessa quarta-feira, 18, após o contato da produção da TV Amazonas, a Polícia Militar e policiais da Secretaria Executiva Adjunta de Operações, da SSP, foram ao bairro Jorge Teixeira, na área onde houve a informação de ameaças, para uma varredura. Agentes de saúde que estavam no local não confirmaram o caso aos policiais militares. Somente após contato com a gerente do Distrito de Saúde é que houve a confirmação das denúncias.

Casos

O Brasil tem 677 casos confirmados de sarampo. Os dados sobre a doença foram atualizados nesta Quarta-feira pelo Ministério da Saúde. Segundo a pasta, o País enfrenta dois surtos de sarampo: um em Roraima e outro no Amazonas – regiões mais atingidas pelo vírus.

O Estado do Amazonas tem 444 casos de sarampo confirmados. Em Roraima, são 216. Há confirmações ainda nos Estados de Rondônia (1), Rio de Janeiro (7), São Paulo (1) e Rio Grande do Sul (8). O País tem outros 2.724 casos em investigação. Segundo o Ministério da Saúde, os surtos no Brasil estão relacionados à importação da doença – o genótipo do vírus é o mesmo que circula na Venezuela.

Em 2017, casos de sarampo em venezuelanos que viajaram a Roraima foram confirmados, causando um surto da doença no Estado. Houve, então, a ampliação de registros da doença para Manaus neste ano, de acordo com a pasta.

O Ministério Saúde informou que mantém equipes técnicas para acompanhar as ações de enfrentamento da doença no Amazonas e em Roraima. “A pasta tem qualificado profissionais de saúde com o objetivo de possibilitar a identificação de sinais e sintomas que definem um caso suspeito de sarampo, além da adoção de outras ações de vigilância epidemiológica.”

Em São Paulo, um caso da doença foi confirmado em abril em Ribeirão Preto, no interior paulista. Trata-se de uma profissional de saúde que viajou ao Líbano. O registro foi considerado um caso importado da doença. Foram feitas ações de monitoramento da doença na região, mas não foi identificada transmissão do vírus e a paciente se recuperou.

Prevenção

O sarampo é uma doença altamente contagiosa cuja principal forma de prevenção é a vacinação. Apesar da importância da imunização, o País tem cobertura vacinal abaixo da meta definida pelo Ministério da Saúde e preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo a pasta, a cobertura no Brasil foi de 85 21% na primeira dose (tríplice viral) e de 69,95% na segunda dose (tetra viral) em 2017. A meta é de 95%.

A vacina contra sarampo deve ser tomada em duas doses: uma aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses (tetra viral). Crianças de 5 a 9 anos de idade que não foram vacinadas anteriormente devem tomar duas doses da vacina tríplice com intervalo de 30 dias entre as doses. Entre 6 e 31 de agosto uma campanha de vacinação será realizada no País. O público-alvo são crianças de 1 ano a menores de 5 anos.

Vacinação no mundo

O mundo registrou no ano passado um recorde de crianças vacinadas – 123 milhões, de acordo com dados divulgados na terça-feira, 17, pelo Unicef e pela OMS – uma alta que ocorre tanto por aumento da população quanto de cobertura vacinal.

O Brasil, porém, caminha na contramão desse movimento, com queda na porcentagem de crianças vacinadas nos últimos três anos.

(Colaborou Patrick Motta)

Motocicletas foram apreendidas durante operação na manhã desta quinta-feira na zona leste de Manaus (Foto: Patrick Motta)

Motocicletas foram apreendidas durante operação na manhã desta quinta-feira na zona leste de Manaus (Foto: Patrick Motta)

Agentes de trânsito fazem abordagem a motoristas para verificar regularização de veículos (Foto: Patrick Motta/ATUAL)

Agentes de trânsito fazem abordagem a motoristas para verificar regularização de veículos (Foto: Patrick Motta/ATUAL)

Seja o primeiro a comentar on "Polícia ocupa zona leste de Manaus após prefeito denunciar intimidação de traficantes a agentes de saúde"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.