Os números do elefante branco do Amazonas

Arena da Amazônia: muito concreto e pouco uso (Foto: Chico Batata/Agecom)

Arena da Amazônia: investimento milionário e baixa demanda  (Foto: Chico Batata/Agecom)

A Arena da Amazônia já é um elefante branco para o Governo do Amazonas. O estádio, inaugurado em 2013, custou R$ 669,5 milhões aos cofres públicos e desde sua inauguração, em março daquele ano, a Arena recebeu 26 jogos – incluindo quatro partidas da Copa do Mundo. Depois dos jogos da Fifa, de agosto de 2014 até dezembro deste ano, o faturamento da arena com jogos e outros eventos foi de R$ 26 milhões, mas apenas R$ 3 milhões ficaram com o governo do Estado. Os R$ 23 milhões restantes foram para os organizadores dos eventos. Como a arena tem 44.351 lugares, a média de faturamento em um ano e quatro meses foi de R$ 586,23 por assento. Os números mostram uma taxa de ocupação da Arena da Amazônia insuficiente para sua manutenção e muito aquém do que foi planejado pelo governo, que vendeu a ideia de uma arena multiuso, com a realização de eventos de toda ordem, inclusive shows internacionais de música.

Seja o primeiro a comentar on "Os números do elefante branco do Amazonas"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.