Ofensas a nordestinos desencadeiam mais de 1 milhão de tuítes, diz estudo da FGV

Por Débora Sögur Hous/ Da Folhapress

SÃO PAULO, SP – Levantamento feito pela FGV-DAPP (Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas) identificou 1,7 milhão de tuítes mencionando o resultado das eleições no nordeste.
Segundo a FGV-DAPP, muitas das publicações associavam a vitória de Fernando Haddad (PT) na região à pobreza, ao programa Bolsa Família e à quantidade de migrantes nordestinos que vivem no Sul e no Sudeste. Também foram detectados tuítes criticando as publicações ofensivas.
A instituição também identificou muitos tuítes com agressões qualificando militantes pró-Haddad e pró-Bolsonaro de, respectivamente, comunista e variações (“comunistinha”, “socialista de iPhone” etc) e nazista ou fascista e variações (“fascistoide”, “bolsonazi”).
População LGBT, mulheres, negros e evangélicos também foram alvos de discussão com ofensas.

Seja o primeiro a comentar on "Ofensas a nordestinos desencadeiam mais de 1 milhão de tuítes, diz estudo da FGV"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.