Após disputa judicial, Ministério do Trabalho divulga ‘lista suja’ do trabalho escravo

(Foto: MPT/Divulgação)

Trabalhadores encontrados em situação análoga à escravidão ajudam a formar ‘lista suja'(Foto: MPT/Divulgação)

BRASÍLIA – Depois de meses de disputa judicial, o Ministério do Trabalho divulgou a chamada ‘lista suja‘ do trabalho escravo, informa a coluna Direto da Fonte do jornal “O Estado de S. Paulo”. São 68 empregadores acusados de manter trabalhadores em condições análogas à escravidão. Do total de empresas, 10 são da área de construção. O imbróglio judicial se arrastou por pelo menos dois anos. Uma ação da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) questionou a lista suja no Supremo STF (Tribunal Federal), em dezembro de 2014.

No início de fevereiro, o juiz Rubens Curado Silveira, da 11.ª Vara do Trabalho de Brasília, manteve liminar que obrigava o governo federal a publicar em até 30 dias o Cadastro de Empregadores flagrados com mão de obra análoga à de escravo. A lista, no entanto, só foi publicada na quinta-feira, 23, à noite pelo governo.

(Estadão Conteúdo/ATUAL)

Seja o primeiro a comentar on "Após disputa judicial, Ministério do Trabalho divulga ‘lista suja’ do trabalho escravo"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.