Machismo em vídeos da copa do mundo causa revolta na Rússia e no Brasil

SÃO PAULO – O vídeo mais comentado da semana foi a dos torcedores brasileiros onde eles aproveitam que a mulher Russa não entende o português e a faz repetir frases de baixo calão sem qualquer pudor e em tom de brincadeira.

Muitas pessoas compartilharam e o conteúdo que tornou-se viral ao ponto de chegar até famosos como Ivete Sangalo e Daniela Mercury. Alguns dos homens já foram identificados que foram demitidos dos respectivos trabalhos e outros usaram as redes sociais para se desculpar.

Curioso é perceber como o brasileiro sente-se á vontade em praticar o assédio contra mulheres, ao ponto de gravar um vídeo e expor sem qualquer pudor e continuar acreditando que toda a revolta é desnecessária porque na verdade tratava-se de uma brincadeira, relativizando não somente o respeito que a mulher tanto busca mas o seu espaço que foi totalmente invadido.

No vídeo os torcedores brasileiros gritam “buceta rosa” junto com a mulher que repete sem saber absolutamente de nada. 

Muitas pessoas saíram ao favor dos torcedores machistas, alegando que não podemos julgar o comportamento de alguns “meninos” que estavam apenas se divertindo, mesmo que esses “meninos” já tenha pelo menos mais de 40 anos cada um, com cargos importantes e que deveriam estar sendo exemplo de boa conduta aqui e em outro país.

A verdade é que os brasileiros foram julgados em seu próprio país e agora poderão ser julgados também na Russia, país da mulher que foi vítima, que quando soube fez questão de denunciá-los e abrir uma petição contra os torcedores brasileiros.

Que seja a lição que precisavam, o machismo e a misoginia não estão mais sendo tratados como assuntos irrelevantes. Existe conscientização, existem leis e não passará sequer uma pessoa que acredite que tem o direito de tocar sem qualquer pudor o espaço de uma mulher.

1 Comentário on "Machismo em vídeos da copa do mundo causa revolta na Rússia e no Brasil"

  1. Não há misoginia ou machismo. Existe apenas uma brincadeira babaca que passou dos limites e apenas isso. Os envolvidos acabaram por se tornar as maiores vítimas de sua brincadeira excessiva. Perder emprego por causa de uma brincadeira babaca é cúmulo da falta de razoabilidade. São babacas? São, não há dúvidas, mas as pessoas tem o direito de ser babacas e cabe a quem sofreu com o ato de babaquice, exigir sua reparação, caso sinta-se realmente ofendida. Execração pública pelo ato ofensivo é o bastante, não é preciso essa sanha descabida em busca de punições máximas por um gesto de menor potencial ofensivo.
    Foram babacas, mas a babaquice maior é a de se querer tanta punição por um gesto ofensivo menor…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.