Justiça suspende promoção por merecimento de diplomatas no Itamaraty

Itamaraty não pode fazer reuniões secretas para definir promoção de diplomatas, decide a Justiça (Foto: ABr/Divulgação)

Da Agência Brasil

BRASÍLIA – A Justiça Federal no Distrito Federal decidiu, nesta quarta-feira, 14, suspender o processo interno de promoção por merecimento da carreira de diplomatas do Ministério das Relações Exteriores (MRE). A medida foi tomada a partir da uma ação do MPF (Ministério Público Federal) e foi deferida pelo juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Cível de Brasília. O governo pode recorrer.

Ao suspender o processo de promoção no Itamaraty, o magistrado entendeu que as reuniões dos colegiados que avaliam as promoções não podem ser sigilosas. A natureza sigilosa dos trabalhos das duas câmaras de avaliação está prevista no Decreto 6.559/2008, norma que foi questionada pelo MPF.

De acordo com o juiz, a decisão vale até que seja garantida “ampla publicidade” dos trabalhos aos servidores interessados no concurso interno. “A partir do momento em que é ferido o princípio da publicidade, no caso, impedindo que os interessados controlem a legalidade dos critérios utilizados pela administração para a promoção, abre-se espaço para condutas que firam o princípio da impessoalidade, com a escolha indevida de candidatos à promoção por motivos outros que não o interesse público”, argumentou o magistrado.

Procurada pela reportagem, a assessoria do Itamaraty informou que ainda não foi notificada sobre a decisão.

Seja o primeiro a comentar on "Justiça suspende promoção por merecimento de diplomatas no Itamaraty"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.