Justiça ouve testemunhas de processo envolvendo Alecrim e hospital Santa Júlia

O Ministério Público Federal processou Wilson Alecrim em 2015

MANAUS – O juiz federal substituto Luís Felipe Pimentel ouviu nesta quinta-feira, 8, as testemunhas de defesa da ação civil (0009952-16.2015.4.01.3200) em que o ex-secretário de Saúde do Amazonas Wilson Alecrim é acusado de improbidade administrativa. O processo envolve um contrato sem licitação do ano de 2011 firmado entre a Susam (Secretaria de Estado de Saúde) e o Hospital Santa Júlia para realização de cirurgias cardíacas em crianças. Para o MPF (Ministério Púbico Federal), a dispensa de licitação foi irregular. O caso tramita na 1ª Vara da Justiça Federal no Amazonas, sob a titularidade da juíza Jaiza Fraxe. As testemunhas foram ouvidas até a noite desta quinta. A previsão é que na tarde de sexta-feira, 9, sejam iniciados os interrogatórios dos réus. Além de Alecrim, outros servidores da pasta à época são processados. A apuração do caso partiu de representação da ONG Instituto Amazônico de Cidadania (IACi). Foi a partir dessa investigação que a Controladoria Geral da União no Amazonas começou a investigar suspeitas na Susam que resultaram na Operação Maus Caminhos. A ação é de 2015 e está na reta final.

Seja o primeiro a comentar on "Justiça ouve testemunhas de processo envolvendo Alecrim e hospital Santa Júlia"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.