Justiça da África do Sul exige divulgação de relatório sobre corrupção

Jacob Zuma é o presidente da África do Sul desde 2009. (Foto: Divulgação)

Jacob Zuma é o presidente da África do Sul desde 2009. (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA – Um tribunal da África do Sul ordenou nesta quarta-feira a publicação de um relatório há muito tempo esperado sobre se o presidente Jacob Zuma permitiu que uma das famílias mais ricas do país, Gupta, influenciasse as nomeações de seu gabinete. Milhares de manifestantes se reuniram na capital do país exigindo o impeachment do presidente.

Os líderes da oposição disseram que as conclusões do relatório, cuja publicação estava sendo bloqueada por semanas por meio de decisões judiciais conseguidas por Zuma, poderia levar ao impeachment. Segundo a decisão do Tribunal Superior do país, o relatório deve ser divulgado no mais tardar até às 17 horas desta quarta-feira, 2, (horário local).

Previamente, a advogada do presidente argumentou que ele não teve tempo suficiente para responder às alegações feitas no relatório.

O relatório foi feito por Thuli Madonsela, que até o mês passado era defensor público do país encarregado de examinar as supostas irregularidades cometidas pelo governo. As investigações iniciaram após denúncias. Madonsela queria divulgar o documento, que ele chama de “captura do Estado” pela família Gupta, no dia 14 de outubro, seu último dia no cargo, mas não foi possível por causa das intervenções judiciais do presidente.

(Do Estadão Conteúdo/ATUAL)

Seja o primeiro a comentar on "Justiça da África do Sul exige divulgação de relatório sobre corrupção"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.