Juíza nega pedido para anular eleição de prefeito em Manacapuru

Beto D'Ângelo é o prefeito eleito de Manacapuru e venceu batalha judicial na primeira instância (Foto: Divulgação)

Beto D’Ângelo é o prefeito eleito de Manacapuru e venceu batalha judicial na primeira instância (Foto: Divulgação)

MANAUS – A juíza Vanessa Leite Mota, da 6ª Vara Eleitoral, em Manacapuru (a 89 quilômetros de Manaus), negou pedido de cassação da eleição de Betanael da Silva D’Angelo – o Beto D’Angelo – para prefeito do município e de seu vice, Raimundo França Freitas, da coligação ‘O Recomeço para Manacapuru’, por abuso de poder econômico e político. A ação é conjunta dos partidos PV, PSDC, PPS e PDT e de Antonio Marcelino de Barros e José Luiz da Silva Furtado. Conforme a juíza, não foram apresentadas provas substanciais do uso da Polícia Militar e da Seduc (Secretaria de Estado da Educação) para beneficiar os candidatos eleitos durante a campanha eleitoral, conforme alegaram os autores do processo nº 0000434-92.2016.6.04.0006. No pedido, os autores acusam o coronel Marcus James Frota de escoltar eleitores para votarem em Beto D’Angelo. Vídeos apresentados como prova do crime de compra de votos não atestavam a infração, segundo a juíza. Beto foi eleito com 14.427 votos (28,15%) em uma coligação que reuniu o PROS, PSD, SD, DEM, PHS, PSL e PMB.

Seja o primeiro a comentar on "Juíza nega pedido para anular eleição de prefeito em Manacapuru"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.