Indústria é a principal vilã da queda de empregos no Amazonas em 2016

seguro_desemprego_1

Manaus – Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregos e Desempregos) apontam que o mês de dezembro foi marcado pelo recuo no número de vagas formais de emprego, fechando o último mês de dezembro com um recuou 462.366, menor que dezembro de 2015, quando a queda chegou a 596.208 vagas.

No Amazonas a queda foi de 18.048 vagas, dos quais a maior parcela foi da industria de transformação, que fechou o mês com a demissão de 6.245 trabalhadores. Em 2016, esse setor admitiu menos do que demitiu: foram 36.382 demissões contra foram 30.137 contratações em 2016.

A maior parcela de vagas fechadas ocorreu na capital, onde 11.476 trabalhadores deixaram seus postos de trabalho. Em Manaus, forma contratados no último mês de 2016 um total de 7.297. Mais um ano em que a indústria perde vagas de emprego, já que em 2015 a queda nesse setor foi de 6,1 mil vagas.

Serviços

No setor de serviços, a retração foi de 5,4 mil empregos. Hotelaria, restaurantes e bares foram os ramos que mais fecharam vagas, totalizando 3,3 mil postos. Outros subsetores que tiveram baixa foram Ensino que fechou 585 e transportes, com 1,6 demissões.
Quem fechou o ano no azul foram os profissionais médicos e odontólogos, cuja função teve um saldo de 435 vagas a mais em relação 2015.

O comércio teve perdas de 3,5 mil vagas e apresentou pequena defasagem na relação entre demissões e contratações: foram contratados 37,1 mil trabalhadores e desligados 40,6 mil.

A construção civil fechou com 2.6 mil vagas a menos em 2016, quando foram contratados 15,6 mil trabalhadores e demitidos 17,9 mil.

Seja o primeiro a comentar on "Indústria é a principal vilã da queda de empregos no Amazonas em 2016"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.