Guerra civil?

O Rio de Janeiro, cidade maravilhosa, foi notícia novamente no dia 2 deste mês, quando oito ônibus e dois caminhões foram queimados em retaliação a operação da Polícia Militar no combate ao tráfico de drogas em uma comunidade local. O que mais me impressionou, juro, não foi a queima de ônibus, ou depredação do patrimônio público, mas os saques aos caminhões feitos pela população aos olhos das viaturas policiais. Além disso, crianças festejavam o sucesso nos saques, uma apologia aos seus ídolos incendiários. Quais os papeis, sociologicamente falando, destes atores?

Sempre haverá alguém para dizer “são vítimas da sociedade opressora”. Me poupe, humanista míope! Com você nem quero discutir. Isso é coisa de bandido! Simples assim. O que me diz quando um bando de vagabundos tentou parar carros em plena Avenida Brasil para queimar ou assaltar? A culpa é da sociedade opressora? O carro preto que passou no meio deles atirando para o alto fez o que todo mundo teve vontade de fazer. Viramos terra de ninguém?

Devemos nos armar e garantir nossa própria segurança?

O que pensar da situação atual do Brasil?

Na última sexta-feira de abril, dia 28, a tal greve geral, impediu que pessoas se deslocassem para seus trabalhos escolas e residências. Como é que conta a “adesão” a greve? Os grevistas e os impedidos por estes de se deslocar? Ou melhor dizendo, os reféns dos grevistas? Cheguei a ouvir de simpatizantes da greve algumas pérolas, como “greve é para incomodar”, ou seja, objetivo alcançado! Incomodou muito, mas muito mesmo! Receio que o alvo tenha sido mal dimensionado, pois incomodou os que deveriam ser aliados da greve, ou não? Greve se faz sem apoio popular?

Reformas são necessárias, mas não concordo com todas as que estão sendo feitas. O problema é que, neste momento da história brasileira, ou você concorda com tudo ou discorda de tudo, ou é fascista ou comunista. Alguém que não concorde ou discorde de tudo é um alienígena. Só existem duas posições? Mais nada? Impedir pessoas de se deslocar ou de pensar, quando são livres para isso, é crime! Ditadura? Tô fora? Seja de quem for.

Volto a perguntar, o que pensar da situação atual do Brasil? Estamos à margem de uma guerra civil?

Seja o primeiro a comentar on "Guerra civil?"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.