Filizzola é vítima da patota que ele ajudou a colocar no Planalto

Vicente Filizzola (ao centro) em uma das manifestações contra a Dilma Rousseff, em 2016 (Foto: Divulgação)

MANAUS – Vicente Filizzola publicou texto com o título “4 anos e 4 meses servindo os trabalhadores. Foi bom!”. Era a despedida do cargo de subsecretário do Trabalho da Prefeitura de Manaus. Ele credita sua exoneração ao fato de ter participado e ajudado a organizar a greve geral contra as reformas trabalhista e da Previdência, no dia 28 de abril. “Fiz com muita convicção que elas tiram direitos e conquistas dos trabalhadores, sei que causei alguns embaraços para a minha liderança maior, ele é de um partido que apoio o governo Temer, eu sou SD, sou presidente de uma central sindical, a Força Sindical no Amazonas, tomei uma posição consciente das minhas responsabilidade e também das consequências (sic)”, escreveu o sindicalista no Facebook. Em 2015 e 2016, Filizzola organizava as manifestações para tirar Dilma Rousseff da Presidência da República e colocar Michel Temer no poder. O tiro dado lá atrás ricocheteou. Mas Filizzola, ao comentar a demissão, diz que tem convicção de que fez a coisa certa. E agradeceu ao prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB).

Seja o primeiro a comentar on "Filizzola é vítima da patota que ele ajudou a colocar no Planalto"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.