FIA exibe frieza com ideia de Ecclestone de criar versão feminina da Fórmula 1

fia

“A ideia de uma competição só para mulheres não é algo que será instituído sem debate a uma análise adequada” (Divulgação)

 

PARIS – A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) parece não ter se empolgado com a proposta de Bernie Ecclestone de que a Fórmula 1 deveria criar um campeonato para as mulheres, como um modo de atrair mais atenção do público. Ao menos foi o que deu a entender uma dirigente da entidade.

“A ideia de uma competição só para mulheres não é algo que será instituído sem debate a uma análise adequada”, disse, nesta quinta-feira à Associated Press, Michel Mouton, ex-piloto de rali e presidente da comissão da FIA para mulheres no automobilismo.

Além disso, a ex-piloto destacou que as mulheres têm condições de competir em igualdade com os homens. “Mas a partir da minha própria experiência como uma piloto, eu realmente acredito que as mulheres querem competir em pé de igualdade com os homens. Elas provaram ao longo das décadas isto é possível, mesmo que apenas algumas”.

Em comentários para a imprensa britânica nos últimos dias, Ecclestone disse que um campeonato feminino seria “uma vitrine” que “atrairia muita atenção e publicidade e provavelmente muitos patrocinadores”.

Atualmente, a Fórmula 1 conta com duas pilotos de desenvolvimento: a escocesa Susie Wolff, de 32 anos, na Williams e a espanhola Carmen Jordá, de 26 anos, na Lotus. Apenas cinco mulheres já participaram de provas da categoria: Maria Teresa de Filippis, Lella Lombardi, Divina Galica, Desire Wilson e Giovanna Amati.

(Estadão Conteúdo/ATUAL)

 

Seja o primeiro a comentar on "FIA exibe frieza com ideia de Ecclestone de criar versão feminina da Fórmula 1"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.