Escolas dos grupos de acesso mostram bares e relembram história no carnaval de Manaus

Primos da Ilha desfilou na madrugada deste sábado entre escolas dos grupos de acesso (Foto: Ingrid Anne/Semcom)

Primos da Ilha desfilou na madrugada deste sábado entre escolas dos grupos de acesso (Foto: Ingrid Anne/Semcom)

Da Redação

MANAUS – Esporte, belezas naturais da Amazônia, homenagens a personagens históricos e fatos da história do Amazonas foram levados ao Sambódromo na noite dessa sexta-feira, 9, e madrugada deste sábado pelas escolas de samba dos grupos de acesso ‘A’, ‘B’ e ‘C’. Dezesseis agremiações desfilaram em busca de ascensão no carnaval de Manaus.

Pelo Grupo C, que abriu a noite, desfilaram as escolas Ipixuna, Império do Mauá, Leões do Barão Açu, Gaviões do Parque, Legião de Bambas e Tradição Leste, com enredos que homenagearam nomes como o pesquisador e historiador Daniel Sales, a família musical Cerdeira e os atletas Allan Bandeira e Cláudio Coelho.

No Grupo B, as escolas Mocidade Independente da Raiz, Presidente Vargas, Império do Hawaí e Mocidade do Coroado reuniram suas comunidades para apresentar seu trabalho na pista. Teve espaço para exaltação da cultura de bares tradicionais e patrimônios da cidade, por exemplo, no enredo da Presidente Vargas; e um dos grandes momentos do desfile, com a luxuosa homenagem do Coroado ao município de Rio Preto da Eva.

Para o presidente de honra e fundador da Mocidade do Coroado, Montelo Lira, o desfile é o grande momento de celebrar o trabalho produzido pela comunidade. “Tudo o que fizemos foi planejado com muita cautela e humildade, pensando sempre na responsabilidade que temos. Graças a Deus, nos preparamos e cumprimos nosso papel. A Mocidade Independente do Coroado é uma escola de nome, que tem a progressão de crescer cada vez mais”, disse.

Já na madrugada deste sábado, 10, finalizando o primeiro circuito de desfiles, o Grupo A contou com as apresentações das escolas Primos da Ilha, Beija-Flor do Norte, Unidos da Cidade Nova, Acadêmicos da Cidade Alta, Dragões do Império e Balaku-Blaku. A Primos da Ilha conseguiu prender a atenção do público até o final com a homenagem à escola-mãe, Vitória Régia. Outro momento de destaque foi a fé apresentada pelos foliões da Cidade Nova, que tinha o samba, em homenagem ao senhor Adalberto Nunes, na ponta da língua.

As três últimas escolas do grupo desfilaram debaixo de chuva, mas nem isso foi capaz de diminuir a animação dos brincantes. A porta-bandeira da Dragões do Império, Aline Santos, por exemplo, já estava emocionada antes mesmo de entrar na passarela do samba. “É uma emoção que contagia: a minha fantasia, nessa chuva, pesa mais do que o normal, mas eu vou mostrar minha garra; que eu amo meu pavilhão, amo minhas cores vermelho, preto e branco”, contou, empolgada, na concentração.

O Desfile Oficial das Escolas de Samba continua com as apresentações do Grupo Especial na noite deste sábado, 10, a partir das 20h, no Sambódromo. As agremiações Unidos do Cophasa e Meninos Levados, do Grupo de Acesso B, assim como a Império da Kamélia, do Grupo A, optaram por não desfilar.

Seja o primeiro a comentar on "Escolas dos grupos de acesso mostram bares e relembram história no carnaval de Manaus"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.