‘Escola Para Maridos’ tenta ensinar machistas em reality show

Luigi Baricelli é o apresentador do novo reality show sobre maridos machistas (Foto: Divulgação

Luigi Baricelli é o apresentador do novo reality show sobre maridos machistas (Foto: Divulgação

SÃO PAULO – Homens machistas, que gritam, xingam, explodem rapidamente, inferiorizam suas esposas e que não sabem ouvir: todos estes tipos estão no ‘Escola Para Maridos’, cuja proposta é conhecer e tratar esses problemas denunciados por suas companheiras. O programa, comandado por Luigi Baricelli, o ‘diretor’ da escola, estreia nesta terça-feira, 20, no canal Fox Life.

Durante evento de lançamento do programa, o apresentador fez questão de enfatizar como o programa quer passar algo verdadeiro desde as emoções, as conversas e as provas. “Eu queria que vocês entendessem todo o processo, porque foi criado por especialistas, não só por roteiristas. Isso transborda, transpassa o entretenimento. A gente não fez entretenimento, a gente fez melhor, fez a verdade, e é o que vocês vão ver, disse.

Os oito casais participantes chegam à casa onde se passa o reality, mas logo são separados, pois os maridos vão para a escola. As aulas são temáticas e, em cada um dos 13 episódios, eles vão ser convidados a se conhecer melhor, perceber suas atitudes e mudá-las, usando técnicas de psicodrama e desafios em casal, sempre guiados pela psicóloga e psicoterapeuta Ana Canosa.

“São as técnicas de psicodrama, que são utilizadas em recursos humanos, em escolas, em processos terapêuticos, que funcionam muito para as pessoas se entenderem e se perceberem. O que foi muito novo para mim foi lidar com oito homens, nove com o Luigi, numa sala de aula, com muita testosterona, e com muita raiva de mim, óbvio, porque eu era a representante feminina na sala”, conta Ana.

Os temas escolhidos buscam servir para todos os casais do reality e também para grande parte do público. O primeiro, por exemplo, é comunicação, e os homens assistem a vídeos de conversas com suas companheiras para identificarem os problemas no diálogo. Depois da parte teórica em sala de aula, as mulheres aparecem para participarem de uma prova e testar os aprendizados dos maridos. No segundo capítulo, o tema é sexo.

Segundo Luigi, a ideia é “tirar os casais da zona de conforto” para mudá-los. “Se a gente continuar fazendo as mesmas coisas, vamos sempre ter os mesmos resultados. Precisamos sair da zona de conforto e entrar na ação, porque o blá-blá-blá não muda nada mas a ação sim, se não, não dá para perceber os erros e acertos”.

O formato da atração foi desenvolvido pela Fox da Argentina e, devido ao bom desempenho, foi exportado para o Brasil, Uruguai, Colômbia e México. A versão brasileira não teve alterações em relação ao original e as provas e temas são os mesmos. Na escolha dos participantes, a produção se preocupou em escolher perfis de casais diferentes e problemas que fossem comuns a boa parte dos telespectadores. “Cada marido tinha que ter uma questão diferente. A gente teve acompanhamento profissional terapêutico, alguns desistiram no meio do processo, foram vendo que era algo de verdade mesmo. Não foi um processo fácil, mas acho que a gente acertou em cheio”, explicou o diretor de conteúdo da Fox do Brasil, Zico Goes.

Para manter o espírito de escola, além do diretor e da coordenadora pedagógica, o programa ainda conta com dois inspetores: Felipe Solari, que cuida das mulheres, e Diana Bouth que cuida dos homens. Cada um dos quatro membros da equipe apresentadora do programa tem uma função, mas eles têm a mesma percepção do programa: os maridos são absolutamente machistas e as esposas se mostram submissas a eles, o que dificulta o processo de tratamento dos problemas.

Nessa missão subentendida de combater o machismo, porém, o programa traz algumas incoerências. Em teasers exibidos durante o evento de lançamento, após declarações problemáticas de alguns dos maridos, os apresentadores dão risada. Outro problema é a vestimenta da inspetora dos homens: roupas sempre justas, decotadas e sexy, quando o mesmo não se repete no figurino do inspetor responsável pelas mulheres.

O ‘Escola para Maridos’ não tem eliminação, mas o marido que mais tiver progresso ao decorrer da atração ganhará uma segunda lua de mel com a esposa, como um símbolo de mudança no casamento. O programa estreia na terça-feira, 20, às 22h45, no canal Fox Life. Será exibido todas as terças, e, a partir do segundo capítulo, terá reprise na Fox antes dos episódios inéditos.

(Estadão Conteúdo/ATUAL)

1 Comentário on "‘Escola Para Maridos’ tenta ensinar machistas em reality show"

  1. Oi eu gostei muito queria participar da escola para marido
    Vejo todas as terças feiras

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.