Encontro de estudos das mulheres da floresta

Entre os dias 21 a 25 de novembro de 2017, a UFAM (Universidade Federal do Amazonas), sediará o 5º Encontro de Estudo sobre Mulheres da Floresta – EMFLOR. Trata-se de um evento de nível nacional por iniciativa do GEPOS (Grupo de Estudo, Pesquisa e Observatório Social: Gênero, Política e Poder) vinculado à UFAM e ao Diretório de Pesquisa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O GEPOS/UFAM surgiu em 2003 e foi aprovado pelo CNPq em 2005 a partir da demanda de estudantes e professoras/es que trabalhavam isoladamente com a questão de gênero, política e poder.

Instituído e coordenado pela professora Iraildes Caldas Torres, o GEPOS atualmente conta com mais de 30 membros associados e está vinculado aos Programas de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia e de Pós-Graduação em Serviço Social e Sustentabilidade na Amazônia, programas de mestrado de doutora da Universidade Federal do Amazonas.

Por iniciativa dos/as estudiosos/as do GEPOS e atendendo a demanda dos movimentos sociais de mulheres da Amazônia que sentiam a necessidade de um evento científico específico sobre a realidade das mulheres na Amazônia nasceu a proposta de construção de um Encontro que pudesse reunir pesquisadoras/es, acadêmicas/os, militantes e sociedade civil no segmento de mulheres. Respondendo a essas expectativas, em outubro de 2009 foi realizado o 1º Encontro de Estudo sobre Mulheres da Floresta, com ênfase nos estudos relacionados ao gênero, trabalho e meio ambiente.

Durante a realização do 1º EMFLOR, foram apresentadas diversas produções acadêmicas de estudantes pesquisadores/as de toda Amazônia e houve espaço para importantes debates envolvendo grupos de mulheres indígenas, camponesas e quilombolas, além dos vários segmentos das mulheres da cidade.

Diante dos resultados deste primeiro EMFLOR, optou-se por manter a sua realização a cada dois anos, mantendo-se a temática dos estudos das mulheres da floresta sempre em pauta relacionada com mais duas ou três temáticas que variam de acordo com as demandas dos estudos e dos segmentos sociais.

O 2º EMFLOR tratou a temática de ‘Gênero e Sustentabilidade na Amazônia’, seguindo a proposta metodológica de articular os saberes e as produções acadêmicas às experiências das mulheres da floresta e abriu espaço para receber e compartilhar os saberes das benzedeiras, agricultoras, extrativistas, indígenas, pescadoras, seringueiras, castanheira, tecedeiras de arumã, e muitas outras categorias de mulheres da floresta que puderam intercalar experiências de organização e empoderamento social e político.

O 3º EMFLOR debateu e aprofundou a temática da Etnicidade e Deslocamentos na Amazônia. Tema ainda bastante atual e necessário nos estudos migratórios que também orientou os debates e aprofundamentos do 4º EMFLOR que trouxe como tema central a questão do Tráfico, Feminismos e as Fronteiras na Amazônia.

O 5º EMFLOR traz como temática central os novos feminismos e o pós-moderno na América Latina e contará com a presença de estudiosos/as, movimentos e grupos de mulheres de toda a Amazônia, do Brasil e da América Latina, conferindo-lhe um caráter internacional. Já confirmaram presença convidadas da Venezuela e do Peru que atuam nas pesquisas e estudos de gênero nas principais universidades destes países.

O 5º EMFLOR representa um grande ajuri com participação ativa e efetiva de homens e mulheres interessados/as em refletir e aprofundar questões relacionadas ao tema da violência contra mulher, movimentos sociais, políticas públicas, direitos humanos e lutas feministas, educação, cultura e arte, sexualidade, corporeidade e afetos, diversidade e direitos reprodutivos, dentre muitas outras temáticas que surgirão no decorrer do evento.

Além da parte mais acadêmica que se realizará nas dependências da UFAM, no Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais – IFCHS, o 5º EMFLOR contará com exposição permanente de artesanato e economia solidária que representam iniciativas de grupos de mulheres articuladas por diversos seguimentos sociais, dentre eles a Cáritas Brasileira, a Pastoral Operária, o Fórum de Políticas para Mulheres, OS Movimentos de Mulheres Indígenas, dentre outras instituições da sociedade civil organizada.

No dia 25 de novembro o evento se deslocará da UFAM para a periferia de Manaus, indo ao encontro dos movimentos sociais de mulheres que se reunirão na Casa Tartaruga, sede do Movimento Feminista Maria Sem Vergonha, localizada na Rua Japão, número 113, no Parque das Nações, Zona Norte da Cidade, para realização de uma Oficina sobre Direitos Reprodutivos das Mulheres, coordenado pelo Movimento Católicas pelo Direito de Decidir, com início às 8 horas e término previsto para as 18 horas. A entrada é franca aberta à todas as pessoas interessadas em somar nesse grande puxirum do encontro de Estudos das Mulheres da Floresta. Maiores informações e inscrições podem ser acessadas pelo endereço eletrônico  do EMFLOR.

 

Seja o primeiro a comentar on "Encontro de estudos das mulheres da floresta"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.