Economista diz que Estados sustentam a ZFM, informa a ‘Veja’

Atraída por incentivos tributários, BMW instalou fábrica de motos em Manaus (Foto BMW/Divulgação)

Atraída por incentivos tributários, BMW instalou fábrica de motos em Manaus (Foto BMW/Divulgação)

Em reportagem sobre incentivos fiscais no país, a revista ‘Veja’ cita que programas de subsídios tributários, como o programa Inovar-Auto, de incentivo a indústria de autopeças, não atingiu o objetivo e que a renúncia de impostos para alguns setores da economia deve chegar a R$ 280 bilhões em 2017. A ‘Veja’ informa que a Zona Franca de Manaus representa a segunda maior renúncia fiscal, com R$ 28 bilhões no próximo ano. O sistema econômico, que concede isenção total do IPI, até 88% nas taxas de insumos importados e 75% no Imposto de Renda, é considerado decisivo para reduzir o desmatamento na Amazônia. Segundo a revista, com base em estudo do economista Ricardo Nunes de Miranda, “o que ocorre é a transferência de recursos de todo o país, incluindo Estados mais pobres, para beneficiar um número limitado de empresas com linhas de montagem em Manaus. A ‘Veja’ não informa quais seriam as alternativas para a economia do Amazonas sem os incentivos tributários.

Seja o primeiro a comentar on "Economista diz que Estados sustentam a ZFM, informa a ‘Veja’"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.