Dia do Professor

O que comemorar no dia do professor? Mais que comemorar talvez seja um dia pra refletir e renovar as forças em prol da carreira dos mestres, sobretudo num cenário em que os desafios se agravam. É que o contexto de crise econômica, encolhedor dos orçamentos públicos por todo o país, serve de justificativa pra tudo, inclusive desvalorizar o profissional do magistério.

Além dos problemas ainda não superados pelas políticas educacionais, tais como precárias condições de trabalho e jornadas exaustivas, turmas superlotadas, crescente violência nas escolas, baixos salários, ausência de políticas de formação inicial e continuada adequadas às necessidades do professor, adoção de modelos de gestão que consideram o professor como obstáculo à qualidade do ensino, há agora o risco de maior desvalorização da carreira.

Muito distinta das peças publicitárias e propagandas oficiais, não tem sido nada razoável exercer o magistério como carreira e vocação no país. Não por acaso é uma das profissões que começa a encolher aceleradamente. Em tais condições e desafios, como formar e estimular a profissão do magistério no Brasil? Por isso, é fundamental promover a carreira do magistério em favor das perspectivas da sociedade nacional.

Nesse sentido, apesar de tudo, permitam-me congratular-me com todos os professores e professoras. Guias que abrem a porta do presente e do futuro para muitos, embora muitas portas que se fecham aos profissionais da educação deste grande, rico e saqueado país. Parabéns a todas as professoras e a todos os professores que vivem com autenticidade esse enorme desafio de semear lições e colher pessoas, profissionais e cidadãos.

Solidarizo-me a todos os professores e profissionais da educação que lutam pra que seu presente não seja aviltado, seu passado esquecido e seu futuro abandonado. A educação de qualidade, formadora de gente, de cidadãos e de profissionais faz a diferença na vida de todos. É inadmissível o que está por acontecer em relação aos professores e à educação no país, pois a pior das pilhagens é aquela que retira a chance de construir um futuro melhor às pessoas e à sociedade, ignorando todo o empenho e o esforço que se fez no para se chegar até aqui.

Esse movimento em direção à desvalorização do profissional da educação é o reflexo desse tempo insensível e saqueador da dignidade humana em favor apenas de um modelo pirata, concentrador de renda pelas corporações que dominam o mercado, esfacelador das economias nacionais e devorador de direitos sociais duramente conquistados. Um tempo que globaliza uma lógica neocolonial de economia de mercado, esvazia a dignidade humana e reabilita o velho patriarcado, fomentado por modelos políticos e econômicos apodrecidos e sem expectativa de renovação. Um contexto singular no qual, indiferente às prioridades nacionais e sociais, busca-se tão somente resultados que satisfaçam às expectativas de viabilidade concentracionista, em grande parte especulativa, do mercado logospirata.

Ainda assim, vale muito o esforço e o empenho dos professores, dos mestres, para edificar outra lógica de convivência em sociedade, uma nova cultura política, uma outra ordem econômica, que aponte numa direção de liberdade, justiça e solidariedade. Parabéns a todos aqueles que não cansam de semear as raízes de uma nova organização social, econômica e política que reflita a grandeza da luta dos educadores em prol da vida digna, do que resta do meio ambiente e por um mundo que resgate e promova alguma beleza no percurso efêmero das existências humanas. Congratulações a todos aqueles que insistem em acreditar na educação como um processo de socialização capaz de promover outro mundo, efetivamente comprometido com uma sociedade mais livre, justa e fraterna, capaz de superar regime de neocolonialismo político e econômico em que vivemos sob o disfarce de democracia formal.

Enfim, é essencial reconhecer e valorizar os generosos heróis da educação que ainda temos, apesar dos políticos e burocratas que insistem em diminuir a educação. Educadores não permitam que solapem de vez a esperança de dias melhores, apesar de tudo o que o país está passando. Educadores, por favor, prossigam ensinando que é possível começar de novo, de maneira ética, e emergir das ruínas morais, políticas e econômicas. Ousem persistir na educação para reconstruir uma nova sociedade. Uma educação que ensine liberdade com responsabilidade, desenvolvimento com justiça, por meio da qual a dignidade humana prevaleça sobre a razão cínica e voraz dos lucros e sobre a indiferença dos poderosos. Parabéns educadores! E, apesar de tudo, feliz dia dos professores!!!

 

Seja o primeiro a comentar on "Dia do Professor"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.