Defesa Civil identifica casas sujeitas a alagação na Operação Cheia

Casas são marcadas para possíveis remoção de família em caso de alagação (Foto: Altemar Alcântara/Semcom)

Casas são marcadas para possíveis remoção de família em caso de alagação (Foto: Altemar Alcântara/Semcom)

Da Redação

MANAUS – Famílias que moram em áreas passíveis de alagação em Manaus começaram a ser identificadas pela Defesa Civil e Semmasdh (Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos). São 2.569 moradias que serão visitadas por técnicos da Prefeitura de Manaus na Operação Cheia 2018, que começou nesta segunda-feira pelo bairro de Educandos, na zona sul.

“Vamos verificar e identificar os moradores e dar continuidade ao monitoramento das residências. Caso seja identificada alguma situação de risco de desabamento, iremos tomar as providências imediatas”, disse o secretário executivo de Proteção e Defesa Civil do município, Cláudio Belém.

De acordo com secretário da Semmasdh, Dante Souza, a medida preventiva identifica as famílias em situação de risco para poder auxiliá-las, caso seja decretado estado de calamidade pública em virtude da subida das águas do rio Negro. “Estamos trabalhando com a estimativa de identificar 700 famílias da orla do bairro de Educandos. No ano passado, chegamos a identificar 678 famílias nesta mesma área”, disse.

Quinze bairros são monitorados semanalmente pela Defesa Civil: Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa e Puraquequara.

Seja o primeiro a comentar on "Defesa Civil identifica casas sujeitas a alagação na Operação Cheia"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.