Congresso retoma debate sobre cobrança de taxas pela Suframa

Polo de duas rodas foi um dos mais atingidos pela retração econômica no PIM (Foto: Suframa/Divulgação)

Taxas serão cobradas das empresas que têm incentivo fiscal na ZFM (Foto: Suframa/Divulgação)

BRASÍLIA – A comissão mista que analisa a Medida Provisória 757/16, que trata da questão tributária da Zona Franca de Manaus, tem nova audiência pública nesta terça-feira, 4, para discutir o assunto. A MP cria duas taxas sobre a importação de mercadorias e sobre serviços. As taxas de Controle Administrativo de Incentivos Fiscais (TCIF) e de Serviços (TS) estabelecidas pela medida serão arrecadadas pela Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). A MP foi editada para substituir a Taxa de Serviços Administrativos (TSA), considerada inconstitucional pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em maio de 2016.

A MP também estabelece que a importação de mercadorias estrangeiras ou a entrada de produtos procedentes do território nacional no âmbito da Zona Franca de Manaus, das Áreas de Livre Comércio (ALCs) ou da Amazônia Ocidental deverá ser licenciada ou registrada pela Suframa.

Este será o terceiro debate promovido pela comissão. Nas audiências anteriores foram ouvidos representantes de federações do comércio e indústria de estados da Região Norte. Para esta audiência, foram convidados representantes do governo federal, das secretarias de Planejamento de Estados da Região Norte e sindicalistas.

A comissão mista é presidida pela deputada Maria Helena (PSB-RR) e tem como relatora a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). A votação do parecer está prevista para o dia 26 de abril.

(Da Agência Câmara)

Seja o primeiro a comentar on "Congresso retoma debate sobre cobrança de taxas pela Suframa"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.