Comissão aprova prioridade para gestantes na proteção contra epidemias

Comissão na Câmara aprovou proposta que proíbe o aborto em caso de estupro (Foto: Gilmar Felix/Câmara dos Deputados)

O projeto original já foi aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher (Foto: Gilmar Felix/Câmara dos Deputados)

Da Agência Câmara

BRASÍLIA – A Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados, aprovou proposta que assegura prioridade para gestantes e lactantes receberem, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), insumos de qualquer natureza para a proteção contra epidemias ou agravos inusitados. A medida é inserida no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA – Lei 8.069/90).

O texto aprovado é um substitutivo da relatora, deputada Laura Carneiro (DEM-RJ), ao Projeto de Lei 5461/16, do Senado, e ao PL 4587/16apensado. O projeto original, da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), torna obrigatória a distribuição às gestantes, de graça, de repelente com eficácia comprovada contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika vírus, além de dengue, chikungunya e febre amarela.

“Acreditamos que o teor da lei deve ser mais amplo e, em vez de particularizar uma situação especial, proteger as gestantes de maneira abrangente”, disse a relatora. “Ao se mencionar explicitamente repelentes e Aedes aegypti, toda uma gama de meios de proteção para outros surtos que surgirem no futuro necessitarão de uma nova lei para serem garantidas”, completou.

Tramitação
O projeto original já foi aprovado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Agora a matéria será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Seja o primeiro a comentar on "Comissão aprova prioridade para gestantes na proteção contra epidemias"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.