Bastidores da CMM: Arthur evita palanque, guerra de faixas e ilustres desconhecidos

O prefeito Arthur Virgílio Neto, o presidente da CMM, Wilker Barreto e o vice-prefeito Marcos Rotta (Foto: Tiago Corrêa/CMM)

O prefeito Arthur Neto, o presidente da CMM, Wilker Barreto, e o vice-prefeito Marcos Rotta (Foto: Tiago Corrêa/CMM)

Por Rosiene Carvalho, da Redação

Com discurso sem novidade e sem agressividade, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), mostrou, nesta segunda-feira, 6, na leitura da mensagem anual na CMM (Câmara Municipal de Manaus) uma imagem diferente da que a população se acostumou nos quatro anos do primeiro mandato. Com problemas orçamentários no setor do transporte público em função do rompimento com o governador José Melo (Pros) no ano passado, Arthur em poucos segundos lembrou que a campanha eleitoral do ano passado foi dura, mas em vários pontos do discurso defendeu o diálogo e bom senso como parâmetro que deve guiar os homens públicos.

Sem diálogo

Assim como não houve representante da Prefeitura de Manaus na leitura da Mensagem do governador José Melo na ALE (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas), na semana passada, ninguém foi enviado por Melo para representar o governo na leitura da mensagem de Arthur.

Comparação

Aliás, a comparação com a leitura da mensagem do governador José Melo na semana passada na ALE  foi inevitável. Enquanto o tucano demonstrou cumprir com tranquilidade e sem emoção a formalidade do ato, José Melo usou o evento para defender os feitos de seu Governo e para exibir articulação com a base aliada, após dois anos de problemas administrativos e políticos. Mostra disso é que Melo falou de improviso e abriu vários parênteses para citar autoridades que prestigiaram a leitura de sua mensagem anual. Arthur cumprimentou apenas a Mesa da CMM e leu texto distribuído meia hora antes de sua chegada.

2018

Uma justificativa para a diferença entre os dois chefes do Executivo é que Arthur acabou de sair vitorioso de uma disputa eleitoral e Melo está em ano pré-eleitoral e, como afirmou em entrevista ao ATUAL, em dezembro do ano passado, quer indicar o candidato a seu sucessor. E busca autoafirmação no grupo.

Desmontado

Com gravata mal amarrada e gola para fora do paletó, a chegada do vereador de primeiro mandato e único representante do PT na CMM Sassá da Construção Civil não passou despercebida por jornalistas. Os profissionais da imprensa se recusaram a gravar com Sassá naquelas condições e pediram para ele se ajeitar. Percebendo que ele mexia, mexia e não melhorava o visual, um cinegrafista deixou o posto e arrumou a blusa do vereador.

Ilustres desconhecidos

Muitos dos 41 vereadores da CMM entraram no prédio nesta segunda-feira sem serem reconhecidos. Uma demonstração de como os rostos dos parlamentares são desconhecidos ocorreu no momento em que o vereador e primeiro secretário da Mesa Diretora, Missionário André (PTC), foi dar entrevista. Um grupo que aguardava a chegada  do prefeito Arthur Neto comentou: “Quem é esse? Nunca vi tanta gente desconhecida num dia só”.

VereadorSassa

A guerra das faixas

A cerca externa na CMM ontem estava literalmente vestida de faixas de agradecimentos ao prefeito Arthur, com material e grafias parecidas, identificada como de autoria de moradores dos mais diversos bairros da cidade. Nenhum espaço ficou vazio. Talvez por isso, sobrou espaço para que na parte central da galeria no plenário uma grande faixa reclamando sobre o aumento da tarifa de R$ 3 para R$ 3,30 tenha roubado a cena.

FotoRaphaelAlvesProtesto1

(Foto: Raphael Alves)

Atenção

Quem estava no plenário, cheio de convidados de vereadores, só se tocou da manifestação quando os parlamentares, durante discurso do prefeito, começaram a virar o pescoço para trás, seguindo os olhares de quem ocupava a mesa. Arthur falou por pelo menos dois minutos sem a audiência do plenário.

VereadoresCMMPescoços

Democracia é isso

Os manifestantes contrários a Arthur tiveram a faixa rasgada e substituída por faixas favoráveis ao prefeito. Ainda ensaiaram gritos de protestos, mas tiveram as vozes abafadas pelos manifestantes pró-Arthur, que chegaram a incomodar até o tucano. “Democracia é isso. O pessoal a favor também atrapalha”, disse Arthur.

(Foto: Raphael Alves)

(Foto: Raphael Alves)

Ausente

O vereador e segundo secretário da Mesa Diretora, Isaac Tayah (PSDC), foi o único vereador que faltou à leitura da mensagem do prefeito. Tayah esteve ausente durante a campanha eleitoral para cuidar da saúde, em São Paulo.

Presente 1

O deputado e presidente estadual do PTN, Abdala Fraixe, que não apareceu para a leitura da mensagem do governador José Melo na ALE, sentou-se na primeira fila na leitura da mensagem do prefeito Artur Neto. Com quatro vereadores eleitos, a sigla tem uma das maiores bancadas na CMM.  

Presente 2

O deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) desta vez prestigiou o líder da sigla. Saraiva faltou ao evento de comemoração da vitória de Arthur Neto e Marcos Rotta (PMDB) no dia do resultado do segundo turno do ano passado. Na leitura da mensagem do governador José Melo, recebeu afago com indicação que a base tinha saudades da participação dele.

Seja o primeiro a comentar on "Bastidores da CMM: Arthur evita palanque, guerra de faixas e ilustres desconhecidos"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.