ANTT revoga formalmente tabela de fretes contestada pelo setor produtivo

Greve dos caminhoneiros tende a iniir investimentos e dificultar melhoria da economia, afirma especialista (Foto: Valter Campanato/ABr)

Tabela de preço do frete apresentado pelo governo tem um corte médio de 20% (Foto: Valter Campanato/ABr)

Do Estadão Conteúdo

BRASÍLIA – A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) publicou no DOU (Diário Oficial da União) desta segunda-feira, 11, resolução que formaliza a anulação da tabela com preços mínimos do frete rodoviário editada na última quinta-feira, 7, com revisões em relação à primeira, do dia 30 de maio.

A tabela foi revisada pelo governo depois de grande pressão do setor produtivo, que alegou que a primeira versão da tabela gerou aumentos de até 150% nos preços do frete e ameaçou até ir à Justiça para barrar o tabelamento. A segunda tabela procurou aliviar o custo ao agronegócio e à indústria, mas contrariou os caminhoneiros, por trazer um corte médio de 20% nos preços.

O impasse obrigou o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, a revogar a segunda tabela no mesmo dia, poucas horas depois de ter sido divulgada na noite da quinta-feira. Porém, o ato que anula oficialmente os efeitos da tabela revisada só foi publicado nesta Segunda-feira. 11.

Uma terceira versão dos preços está em discussão desde a semana passada e pode ser elaborada em substituição à primeira, que segue em vigor. Representantes de caminhoneiros e a ANTT marcaram para logo mais, às 9h, uma nova reunião, de caráter técnico, para tratar do assunto.

Seja o primeiro a comentar on "ANTT revoga formalmente tabela de fretes contestada pelo setor produtivo"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.