Prestação de contas: Amazonino informa gasto de R$ 3,6 milhões na campanha

Amazonino diz que pretende ser um organizador político caso seja eleito neste domingo (Foto: ATUAL)

Amazonino gastou R$ 3,6 milhões em campanha suplementar ao Governo do Amazonas (Foto: ATUAL)

Da Redação

MANAUS – Eleito governador do Amazonas na eleição suplementar encerrada no dia 27 de agosto, com o segundo turno, Amazonino Mendes (PDT) arrecadou e gastou R$ 3,637 milhões na campanha eleitoral, informou o advogado da coligação ‘Movimento pela reconstrução do Amazonas’ Júlio Lorenzoni.

O dinheiro foi proveniente do Fundo Partidário e doações de pessoas físicas, mas ainda não aparece na prestação de contas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Conforme Lorenzoni, o registro no sistema Divulgacand do TSE deve aparecer entre esta terça e a quarta-feira, 6.

Lorenzoni disse que a prestação de contas foi enviada nessa segunda-feira, 4. Para ser diplomado pelo tribunal, Amazonino precisa que o balanço financeiro seja julgado antes do dia 2 de outubro, data definida pelo TRE para a diplomação.

Do total arrecadado, segundo o advogado, R$ 1.698.992,88 foram em serviços oferecidos por pessoas físicas. “Vale ressaltar que o valor estimado foi doado na prestação de serviço, como cessão de veículos e serviços voluntários, entre outros. O governador não recebeu em dinheiro a quantia de R$ 1,6 milhão, mas, sim, a doação de serviços estimáveis. O que se arrecadou e gastou durante o pleito foi o montante de R$ 3,6 milhões, oriundo do fundo partidário e doação de pessoas físicas”, disse.

Júlio Lorenzoni informou ainda que o governador eleito recebeu R$ 2,420 milhões dos seguintes partidos PDT, PSD e DEM. “Do PDT, Amazonino recebeu R$ 1,5 milhão. Já o PSD doou R$ 620 mil e o DEM, R$ 300 mil”, disse o advogado.

Seja o primeiro a comentar on "Prestação de contas: Amazonino informa gasto de R$ 3,6 milhões na campanha"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.