Aliança PT-PSB entorna ‘caldo partidário’ envolvendo Vanessa e Francisco Praciano

Petista Francisco Praciano diz que está nas mãos da comunista Vanessa Grazziotin a decisão de ele ser candidato ou não a Senador em aliança com o PSB (Fotos: ATUAL)

Petista Francisco Praciano diz que está nas mãos da comunista Vanessa Grazziotin a decisão de ele ser candidato ou não a Senador em aliança com o PSB (Fotos: ATUAL)

Por Cleber Oliveira, da Redação

MANAUS – A ‘caldeirada’ partidária cozinhada pelo PT e PSB na disputa para presidente da República separou ‘ingredientes’ tradicionais da esquerda no Amazonas da receita política como o PCdoB. Com a neutralidade do PSB na disputa nacional, na regional ficou a dúvida sobre que ‘tempero’ colocar no caldo partidário. O impasse envolve o ex-deputado federal Francisco Praciano (PT), candidato a senador, e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), candidata à reeleição.

Como um jurado de ‘Master Chef’, o deputado estadual David Almeida (PSB), candidato a governador pela aliança com o PT, foi enfático ao declarar que não existe a possibilidade de Vanessa participar da coligação, pois o apoio do partido é para Praciano. No PT, parte da militância quer Praciano na ‘panela’ e outra parte defende obediência à cúpula nacional que ordenou o apoio do partido à comunista. O caldo entornou.

“Quero deixar claro que no Amazonas definimos por uma aliança com PSB e PCdoB. O PT não lançou candidatura ao Senado para apoiar a companheira Vanessa, mulher de luta, valorosa, guerreira. Estamos tendo problemas com o a aliança com o PSB”, informou a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, em nota. “Amanhã (nesta terça) eu e Luciana (Santos), presidenta do PCdoB, conversaremos e vamos procurar o presidente do PSB para resolver a situação de Vanessa. Que fique claro, a candidatura do PT ao Senado no AM é Vanessa Graziotin!”, afirmou Gleisi.

Em postagem no Facebook, Francisco Praciano alegou que não fez campanha para deixar Vanessa de fora da aliança. Afirma que foi deixado de lado pelo próprio partido e que sua candidatura depende da própria senadora em entrar na composição do grupo.

Em nota, a assessoria de Vanessa diz que não há espaço para ambos no mesmo ‘molho’ partidário. “Segundo o comando de campanha da senadora Vanessa Grazziotin, o Praciano sabe que uma chapa com dois candidatos do campo da esquerda é inviável do ponto de vista eleitoral. Seria imaginar um eleitorado majoritariamente desse campo, o que não é uma realidade. Insistir nesse projeto é favorecer os candidatos conservadores.  Portanto, o que se procura é viabilizar uma candidatura para vencer e não marcar posição. O momento agora é de diálogo, sobretudo com PSB para construir a unidade. Todos os esforços serão feitos nesse sentido tanto em nível nacional quanto local”, diz a nota.

As lideranças têm até o dia 15 deste mês, prazo final para o registro das candidaturas, para chegar a um entendimento. O tempo é curto para servir ao eleitor uma receita partidária que atraia interesse e não que cause indigestão nas urnas.

Confira na íntegra a postagem de Francisco Praciano.

ESCLARECENDO

Só sei, camaradas e companheiros, que não fiz nenhuma articulação contra a Vanessa! Nem publicamente, nem nos bastidores.

Claro, fiz articulações, conversas a favor da minha candidatura!!

Não e’ legítimo?

Resumindo: Não tenho mandato, não sou senador, não tenho nenhuma força na Nacional, não tenho força na Direção Estadual, sequer tive condição de ir na convenção nacional defender a minha candidatura.

Resultado: Mesmo com toda a base do partido ao meu lado e pedindo pra me lançarem, não o fizeram, me excluíram. Fui vetado e estou aguardando a decisão da Senadora Vanessa. Meu destino político está nas mãos da Vanessa. Se ela quiser eu sou candidato! Decida, companheira!

Membros da Nacional do PT me informaram que minha candidatura ao Senado depende de tua decisão! Se a Vanessa sair ao Senado estou fora. Se a Vanessa sair a Dep. Federal ainda vou negociar com o Sinesio, ou seja, com a Direção Estadual se posso ou não sair candidato ao Senado.

Essa é’ a verdade. Sou eu, então, que está vetando alguém!???

Ou ainda: sou eu que estou vetando a Vanessa?

PS: peço socorro ao Professor

Odenildo: o certo é “sou eu que está” ou “sou eu que estou”.

Na dúvida usei os dois. Errei só a metade!!kkkkkkkkkkkklkk

Rir pra não chorar!!

FRANCISCO PRACIANO

Confira na íntegra a nota de Gleisi Hoffmann.

Companheiras, tá sendo muito difícil esse período de condução do processo pré-eleitoral, em especial o processo de alianças, nacionais e estaduais. Quiz a vida me colocar nesse lugar, no momento mais difícil da história política do país e do meu partido, em que milito há quase trinta anos. Sem Lula, com um golpe continuado, sem referência institucional e democrática, temos de sobreviver pra disputa eleitoral. Esperança de mudança mais próxima para o tão sofrido e triste povo brasileiro, q não tem onde se agarrar, a não ser em Lula, seu legado e sua esperança.

Levei tudo com muita transparência e conversação com todos os envolvidos no PT e em outros partidos.

Dito isso, quero deixar claro q no AM definimos por uma aliança com PSB e PCdoB. O PT não lançou candidatura ao Senado para apoiar a companheira Vanessa, mulher de luta, valorosa, guerreira. Estamos tendo problemas com o a aliança com o PSB. Amanhã eu e Luciana, presidenta do PCdoB conversaremos e vamos procurar o presidente do PSB pra resolver a situação de Vanessa. Que fique claro, a candidatura do PT ao Senado no AM é Vanessa Graziotin!

Gleisi Hoffmann

Seja o primeiro a comentar on "Aliança PT-PSB entorna ‘caldo partidário’ envolvendo Vanessa e Francisco Praciano"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.