A lei do lixo nas ruas e o nosso comportamento animal

LIXEIRA Av Cosme Ferreira com Av Norte Sul Distrito Industrial 09jan2018- Valter Calheiros

Lixeira a céu aberto em plena avenida na zona leste de Manaus (Foto: Valter Calheiros)

MANAUS – A lei é polêmica. Não vejo como executá-la de forma ampla. Mas a ideia de proibir o cidadão de jogar lixo nas ruas de Manaus é uma tentativa de humanizar a cidade. Humanizar, porque o descarte de lixo, a falta de urbanidade, ou a falta de educação é típica dos animais irracionais.

Um lobo devora sua presa e larga as sobras ali mesmo. Logicamente, aquelas sobras vão alimentar outros animais, insetos etc., mas no meio urbano, há muito se avançou no quesito higiene e limpeza. A um cão é permitir fazer cocô na rua e seguir em frente; a um ser humano, não.

Em cidades ditas civilizadas [não gosto desse termo], as ruas são impecáveis, sem lixo, com calçadas bem arrumadas, sem pichações nos muros e prédios, sem obstruções aos pedestres.

Nem sempre foi assim. As cidades europeias já foram insalubres, com feiras e mercados imundos, como vemos até hoje nas periferias e até mesmo nos centros comerciais das cidades brasileiras. Lixeiras a céu aberto, com pessoas catando lixo para sobreviver. Cenas como essas só se vê em filmes da Europa medieval.

Nesse cenário, atualmente, sobrevive uma cultura de desrespeito aos locais públicos e até ao locais privados. As mesmas pessoas que jogam lixo nas ruas, que atiram a embalagem do supermercado, o copo descartável, o palito do picolé e a lata de cerveja pela janela do ônibus ou do carro, também atiram todo tipo de sujeira no quintal de casa, na sala, no quarto.

Muitas dessas pessoas sobrevivem sem incômodo com ratos e baratas dentro de casa. Demoram semanas para recolher o lixo dos banheiros, acumulam roupas sujas nos cantos do quarto.

Mudar a cabeça de gente assim, não é fácil. Não se faz isso com uma lei que pune.

Já defendi em outra oportunidade a criação e divulgação de uma campanha ousada contra as pessoas que jogam lixo nas ruas, que sujam a cidade, que descartam objetos velhos nas calçadas.

Mas também é preciso um certo rigor do poder público contra, por exemplo, empresas privadas e públicas que descartam o lixo no meio da rua, só porque ali, em determinado horário, passa um carro coletor. O lixo deve ser descartado em locais apropriados para evitar que os animais o espalhe nas vias.

A Lei Municipal sancionada nesta semana pelo prefeito Arthur Virgílio Neto ainda deve ser regulamentada pela Prefeitura de Manaus. Seria prudente estabelecer prazo para se começar a aplicar multas. Durante o período entre a regulamentação e o início da aplicação de multas, é necessário uma campanha forte, eficiente e eficaz. Daquelas que ficam na ponta da língua, na cabeça da população e possam inibir quem por ventura insistir nessa prática insana.

Seja o primeiro a comentar on "A lei do lixo nas ruas e o nosso comportamento animal"

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.